TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Londrina E.C. • 21 de janeiro de 2016 • 11h38

Goleiro Vitor explica sobre sua decisão envolvendo o futebol e a religião

No Londrina Esporte Clube há 2 anos, o goleiro Vitor participou de importantes conquistas do clube neste período. Para 2016, Vitor tomou a decisão de seguir com os ensinamentos de sua religião que preconiza que os sábados devem ser guardados e por isso, não participará de treinos e jogos defendendo a camisa alviceleste. O arqueiro recebeu proposta da Chapecoense, time que atua na série A do Campeonato Brasileiro, mas ao informar sua opção de guardar o sábado, o time catarinense não seguiu com a contratação. Em entrevista coletiva na tarde de ontem, 20, no estádio dos Pássaros em Arapongas, o goleiro comentou os motivos que o levaram a tomar esta decisão.

“Tomei minha decisão baseada na bíblia e de acordo com minha concepção, minha regra de fé. Para quem estuda a bíblia sabe que guardar o sábado é o quarto mandamento da lei de Deus. É um dia que tiramos para descansar e refletir. Tenho consciência da minha decisão e acredito que Deus providenciará todas as coisas”, afirmou Vitor.

Vitor contou que não teme que sua escolha antecipe o fim de sua carreira, mas sabe que sua escolha poderá acarretar consequências para sua vida profissional. “Quando você tem uma postura, você acaba dizendo sim para algumas coisas e não para outras. Se no futebol não tiver um time que respeite minha posição, irei buscar outros caminhos. Hoje meu objetivo é me manter no futebol”, complementou. 

O goleiro ainda disse que tem se dedicado ao máximo aos treinamentos para estrear no Campeonato Paranaense com vitória. " O foco é buscar mais um título estadual", contou. 

GRATIDÃO PELO LEC E PELA CIDADE

Vitor afirmou que tem uma relação de carinho e gratidão pelo time em razão das conquistas em sua vida profissional e também admiração pela cidade, que acolheu bem sua família. “Minha gratidão ao LEC será eterna. Durante o tempo que estou aqui, estabeleci uma relação de respeito e admiração com a torcida, pois foram importantes conquistas para a história do Tubarão. Sobre a cidade, já cogitamos morar em Londrina. Uma cidade que nos recebeu com carinho e de um povo educado. Agradeço por todo o apoio que a torcida me deu. Minha gratidão será infinita”, disse.

CONQUISTAS COM A CAMISA ALVICELESTE

Carlos Vitor da Costa Ressurreição, 31 anos, é natural do Rio de Janeiro e já jogou no Vitória (BA), Ponte Preta (SP), Joinville (SC), Portuguesa (SP), Atlético Goianiense (GO), Bragantino (SP), ABC (RN), Arapongas (PR), São José (RS) e Novo Hamburgo (RS). Quando chegou ao Tubarão em 2014, foi peça essencial para a conquista do Campeonato Paranaense após 22 anos de espera e na conquista do acesso à série C do Campeonato Brasileiro. No ano seguinte, o Tubarão chegou às semifinais do Paranaense e ficou com o título de campeão do interior e garantiu o acesso à série B. Vitor já defendeu a camisa alviceleste por 79 oportunidades e na temporada passada atuou em 43 jogos, ficando de fora apenas da partida contra o Tupi, na primeira fase, em razão do terceiro cartão amarelo. 

Imprensa/LEC



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário