TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Social • 22 de março de 2017 • 08h18

Papo de Esporte: Do pastel ao plantel

A baixa gastronomia do Estádio do Café confere ao pastel o título de refeição oficial em jogos do Londrina Esporte Clube. Seja de carne, queijo ou pizza, ele é o parceiro do torcedor, novesfora o macarrão com maionese de domingo ou a janta de quarta-feira depois do jogo. Nesse universo, surge um candidato a ídolo do Londrina Esporte Clube. Isso mesmo, visto que das banquinhas de pastel pode emergir o camisa dez que tanto se espera.

Desde os tempos do pastel da família Maccagnan (Rosa, Bertola, Júnior, Luiz...), um garotinho franzino, peralta e curioso ajudava o pai, Márcio, a vender o quitute durante as partidas. Sempre com um olho no freguês e com outro no campo. A cabeça ia longe ao sonhar em, um dia, sair da venda de pastel e entrar em campo e resolver aquilo que nem muitos pastéis resolvem para o torcedor.

O menino, nascido e criado em Londrina, nos arredores da Vila Operária, Jardim Paulista, se arriscou nos campos. Turbinado pelo entusiasmo familiar, apoio de torcedores das cativas do Café e a torcida da família Maccagnan, que além do pastel teve craques dos campos e quadras como Bertola e Júnior, o menino se enveredou para os campos O garoto foi para Taubaté, tentou a sorte na República Tcheca e voltou para casa.

E a casa é exatamente o Estádio do Café. Não mais no bar, na venda do pastel, mas agora no campo. Campeão paranaense Sub-20 e com o título do Sub-23 no Operário de Ponta Grossa, o meia Marcinho é uma opção de Tencatti para ser o dez do time em 2017. Entrou algumas vezes na equipe, mas ainda vê Celsinho, Fabinho, Rafael Gava, Júlio Pacato e Robinho na frente por uma vaga.

Foi titular uma vez, contra o Guaratinguetá na Série C e, aos poucos, se consolida no plantel. Marcinho é o único londrinense do elenco e, aos 21 anos, é candidato a assumir a camisa dez, que já teve vários donos, contudo, ainda carece de um titular definitivo. Talvez agora, sabendo mais da trajetória, do antigo auxiliar de vendas de pastel no Café, você vai torcer por Marcinho de outra forma. Além de,  claro, quando ele entrar e fizer o  primeiro gol dele como profissional alviceleste, você vai vibrar com o tento e, claro, pedir mais um pastel!

Guilherme Lima - Jornalista e Professor - Londrina - Pr.



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário