TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Artigos e Opinião • 25 de março de 2017 • 21h47

Atendimento domiciliar aumenta qualidade de vida do idoso

O atendimento domiciliar e personalizado colabora na evolução do quadro clínico

Atuando em atendimento domiciliar de idosos desde 2014, Dr. Paulo Jorge Cezario tem o compromisso com o bem estar do idoso. "Melhorar a qualidade de vida dos idosos é o que faz eu me dedicar na profissão”, diz. O diferencial do atendimento domiciliar ao idoso está na comunicação e atenção profissional com os familiares.

O tratamento no domicílio do paciente traz vantagens também para toda a família envolvida na situação de busca de qualidade de vida, Dr. Paulo acredita no “atendimento individualizado que leva em consideração aspectos culturais e crenças pessoais do paciente, compartilhando conhecimentos que ajudarão na recuperação e manutenção das capacidades funcionais do idoso”.

Hoje, Dr. Paulo atende em média dez pacientes domiciliares por mês. Dentre eles, o caso da dona Olívia é um dos que mais motiva o seu trabalho. Sua paciente que antes tinha o quadro clínico de depressão grave, hoje já diminuiu a dose de remédios e melhorou sua qualidade de vida.

Todo idoso pode e deve contribuir para uma sociedade melhor. Para isso, ele precisa continuar usando a experiência, a vivência e talentos que acumulou ao longo da vida. “É necessário continuar tendo uma vida produtiva de acordo com as possibilidades que o corpo impõe, mas nunca achar que não pode fazer mais nada, porque essa é a melhor maneira de manter a mente e o corpo saudáveis”, aconselha.

Visibilidade

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até o ano de 2025 o Brasil será o sexto país em população de idosos. Com isso, a necessidade de políticas inclusivas para a redução do preconceito contra essa faixa etária se torna cada vez mais importante.  Dr. Paulo Cezario afirma que "a sociedade precisa enxergar que o idoso tem valor e pode, inclusive, contribuir muito para a solução dos problemas da atualidade."

Além do Estatuto do Idoso, o Direito de Família contempla diversas leis sobre o assunto. Dentre elas, o direito de visita dos avós aos netos, a responsabilidade solidária com relação aos alimentos, e também seu lugar contemplado na lei que versa a respeito da Guarda Compartilhada quando é feita referência à importância dos vínculos de afeto das crianças com a família extensa.

Estes direitos são essenciais, pois relacionamentos saudáveis e contato com pessoas que os amam é essencial para a saúde e qualidade de vida do idoso.

Para a sociedade melhorar a qualidade de vida da pessoa idosa, é necessário que a população esteja cada vez mais preparada para o envelhecimento. Essa preparação envolve todos os níveis e setores que tem contato com a comunidade idosa, desde oportunidades de trabalho, estrutura de acesso a serviços de saúde, adaptação das empresas para atendimento de demandas específicas dessas pessoas, que envolve principalmente acessibilidade e conveniência.

Dr. Paulo Jorge Cezario - Formado pela Universidade Positivo, especializado em Geriatria e Gerontologia pelo Hospital Nossa Senhora das Graças, em parceria com a FAVI - Fundação de Apoio e Valorização do Idoso - Facebook | https://www.facebook.com/drpaulojorgecezario



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário