TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Agronegócio • 21 de abril de 2017 • 08h00

Novo método monitora qualidade do Plantio Direto

Ferramenta online vai qualificar o SPD. Fase de testes começa nas cooperativas do Oeste do Paraná

A partir das decisões tomadas pelo Fórum do Agronegócio realizado em Cascavel dia 5 de maio de 2016, neste início de ano de 2017 a Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação (FEBRAPDP), a Itaipu Binacional e a Fundação Parque Tecnológico de Itaipu, vem promovendo a capacitação no uso do Índice de Qualidade Participativo (IQP) do Sistema de Plantio Direto (SPD), junto aos técnicos e agrônomos, atuantes em cinco cooperativas do Oeste do Paraná: COOPAVEL, LAR, CVALE, COPACOL e COPAGRIL.

Fruto de um convênio firmado desde 2009 e que hoje reúne mais de 20 parceiros, a metodologia participativa qualifica o SPD por meio de um questionário de identificação dos principais aspectos de manejo do sistema de condução das lavouras abordando cobertura de solo com palha, medidas de conservação de solo, manejo da fertilidade e experiência dos produtores resultando em uma nota que varia de 0 a 10. Com a ajuda de uma plataforma web, com base no cadastro destes parâmetros, calcula-se o IQP de cada propriedade registrada no sistema. O objetivo é utilizar o mapeamento interativo das informações para nortear melhorias, visando ajudar o produtor a saber onde fazer melhorias obtendo aumento da produção e a redução dos impactos ambientais.

Informatizada pelo Centro Internacional de Hidroinformática (CIH), a ferramenta online foi desenvolvida a partir da avaliação das propriedades de 226 agricultores da Bacia Hidrográfica do Paraná 3. Jeankleber Bortoluzzi, engenheiro agrônomo, responsável da FEBRAPDP na iniciativa de capacitação na região, explica que o sistema foi construído com a participação dos agricultores, que apontaram as principais dificuldades e virtudes a serem avaliadas. Segundo ele, as recomendações dos relatórios gerados pela plataforma foram aplicadas e aprovadas pelos produtores, no primeiro momento. O agrônomo conta ainda que a funcionalidade da expansão do programa vai entrar em fase de testes no próximo mês de maio.

“O treinamento leva de três a quatro horas e consiste na apresentação do conceito e desenvolvimento do IQP, seguido de uma simulação de cadastro. A previsão é finalizar o treinamento em abril. Então, eles terão maio, junho e julho para fazer o levantamento de dados e cadastro com os produtores. Depois, cada cooperativa vai avaliar os resultados. Em agosto haverá um fórum para discussão do tema”, diz ele.

SPD no Brasil

Considerado celeiro da produção agrícola mundial, o Brasil, de acordo com dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), conta com quase 50 % da sua área plantada em Sistema de Plantio Direto (SPD). De origem norte-americana, a prática chegou ao país na década de 1970 e começou a ser implantada no Paraná. Os pioneiros foram os agricultores, Herbert Bartz, em Rolândia, Nonô Pereira, em Ponta Grossa e Franke Dijkstra, no município em Castro. Atualmente, a técnica está amplamente disseminada no país em cerca 35 milhões de hectares. E o Paraná, possui 90% das culturas de verão em SPD.

Características

Com base na mínima movimentação do solo, cobertura permanente com palha e rotação de culturas, o Plantio Direto é ambientalmente sustentável, diminui os custos de produção e eleva a produtividade. A manutenção da cobertura vegetal na superfície preserva o solo da erosão e aumenta a quantidade de matéria orgânica, diminuindo o uso de insumos e de combustível nas lavouras. Além de ser mais barato do que o Sistema com Preparo de Solo Convencional por não utilizar arados nem grades, o SPD também preserva as reservas de água, a qualidade e a capacidade produtiva do solo.

Asimp/FEBRAPDP



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário