TV União Rádio União Impressas - PDF Interativo

Londrina • 22 de agosto de 2017 • 08h48

Prefeitura e concessionárias entregam novos ônibus SuperBus para o transporte coletivo de Londrina

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, entregou ontem (21), na praça do Centro Cívico, as chaves de oito novos ônibus que a partir de hoje passam a integrar a frota do transporte coletivo. Com investimentos na ordem de R$ 4 milhões, cujo valor já estava previsto na composição da tarifa para 2017, inicialmente os veículos vão atender as linhas 222- Vale Azul; 213 – Estação Catuaí; 903 – Anel Central e 806 – Saul Elkind/Estação Catuaí.

Com 13,2 metros de comprimento, os coletivos são do modelo Superbus e seguem o conceito de BHLS (Bus with High Level of Service), desenvolvido na Europa como solução de mobilidade urbana para áreas densamente povoadas e com vias estreitas. Além de características de conforto e comodidade, como bancos estofados, ar-condicionado, wi-fi grátis e câmbio automático que diminui os “trancos” na troca de marchas, os novos ônibus são 100% adaptados ao transporte de cadeirantes.

Eles ainda são equipados com portas e retrovisores elétricos, assentos flexíveis e volantes ajustáveis para o motorista, rastreamento via satélite 24 horas por dia, suspensão a ar e motor traseiro Euro V, menos poluente e mais silencioso. Com a entrega, o número de carros padrão Superbus no município passa a ser de 16, sendo dois articulados e 14 convencionais. No total, a frota do município conta atualmente com 419 veículos.

Durante a cerimônia, o prefeito Marcelo Belinati ressaltou a qualidade do transporte público em Londrina, principalmente em comparação com outras cidades do mesmo porte. “Fiz toda a minha graduação em Medicina indo e voltando dos lugares de ônibus. Dou muito valor à estrutura e aos trabalhadores do sistema. As falhas podem até existir, mas isso não tira o mérito do serviço que é prestado ao londrinense”, assegurou.

Marcelo afirmou que, para avançar ainda mais, a Prefeitura estuda a elaboração de um Plano Municipal de Mobilidade Urbana. O objetivo é que o estudo faça um raio-x da estrutura viária local e aponte caminhos para a resolução de gargalos no trânsito. “A intenção é que, com o levantamento, a gente consiga saber exatamente o que precisa ser feito e como deve ser feito”, explicou.

Além do projeto de mobilidade, que deve auxiliar a implementação do BHLS em Londrina, estão previstos no Superbus a construção de viadutos, duplicação de vias, onda verde, reforma e ampliação de terminais de integração, entre outras iniciativas. Viabilizado com recursos do PAC 2 e contrapartida de R$ 19 milhões da Prefeitura, a expectativa é que o conjunto de ações do novo sistema de transporte seja finalizado até 2020.

N.com



Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Faça seu comentário