Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Smart Farm trabalha com o conceito de fazendas inteligentes, relacionado ao uso de tecnologias no meio rural por meio da modernização no gerenciamento de propriedades e agilidade da comunicação no campo. 

Centenas de pesquisadores, técnicos, produtores, estudantes e lideranças empresariais e políticas compareceram ao Smart Farm, na sede de pesquisas do IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná — Iapar-Emater). A Smart Farm é uma vitrine de tecnologias do IDR-Paraná e dos centros de pesquisa, startups, cooperativas e empresas ligados à Cocriagro, hub londrinense de inovação aberta.

As startups que participaram da Smart Farm foram a Agritel, com equipamentos de telemetria; Agroper, de fertilizantes orgânicos; Agro365, plataforma de gestão de propriedades; Dioxd, de tratamento de sementes com dióxido de carbono; EPI Cont, de gestão de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual); Espectro, especializada em sensores de solo; FarmGO, estação meteorológica e agricultura de precisão; Fitovision, plataforma para acompanhamento de experimentos; e Soluciona Drones, de pulverização de agroquímicos.

O IDR-Paraná levou as cultivares de soja convencional IPR Petrovita, IPR Pé-Vermelho e IPR Basalto, desenvolvidas para alimentação humana e cultivo orgânico e, também, o milho IPR 216 e IPR 164.

Também apresentou as unidades de MIP (Manejo Integrado de Pragas) e MID (Manejo Integrado de Doenças), orientando produtores sobre a importância dessas estratégias, e também a estação agrometeorológica compacta, sistema de microalgas, sistema autônomo para irrigação, manejo ecológico do greening em citros, e, ainda, os aplicativos IDR Clima, ClimAtlas-19, GID Pragas da Soja, IPR 212 e IPR 216.

Participam da Smart Farm com experimentos e tecnologias a Integrada Cooperativa Agroindustrial e as empresas Inquima, Bayer e Nova.

A Smart Farm trabalha com o conceito de fazendas inteligentes, relacionado ao uso de tecnologias no meio rural por meio da modernização no gerenciamento de propriedades e agilidade da comunicação no campo. 

“Foi uma oportunidade de divulgar inovações digitais e outros produtos tecnológicos para aumento de rentabilidade e a proteção ao meio ambiente, proporcionando sustentabilidade aos nossos sistemas produtivos e favorecendo a sociedade como um todo”, disse Vania Moda Cirino, diretora de pesquisa e inovação do IDR-Paraná.

AEN

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.