Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Um dos ingredientes mais importantes nas culinárias nacional e mundial ficou mais barato nas Ceasas brasileiras no último mês: a cebola. Os preços em janeiro apresentaram nova queda, desta vez bem mais expressiva, de -35,13% em relação à média de dezembro de 2022. Os dados são do 2º Boletim do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort), divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ontem (16). De acordo com o estudo, o preço da cebola teve uma diminuição de pelo menos -20% em todas as Ceasas analisadas. O motivo da baixa nas cotações foi a entrada no mercado em maiores volumes da cebola do Sul do país, especialmente de Santa Catarina. Em janeiro, os envios às Ceasas a partir desse estado aumentaram cerca de 25%.

O tomate também seguiu a tendência de queda em janeiro. Após um período de alta, os preços voltaram a cair em termos de média, -6,26% em relação a dezembro de 2022. Porém, diferente da cebola, o movimento não foi unânime, sendo mais significativo no mercado atacadista da Ceagesp/SP. Fator relevante foi a maior oferta de tomate a partir de São Paulo, atingindo um aumento de quase 40% em relação a dezembro de 2022. Isto explica a queda acentuada do preço, tanto no mercado da capital como em Campinas/SP. A safra de verão intensificou-se com a perspectiva de manter seus volumes nos mercados em fevereiro.

Outras hortaliças, como batata e cenoura, apresentaram alta nas cotações. No caso da batata, essa tendência vem ocorrendo desde setembro/22, e em janeiro deste ano os preços chegaram a aumentar 2,29% na média ponderada, comparado ao mês anterior. No entanto, o movimento não foi uniforme entre os mercados atacadistas. O Boletim Prohort destaca que, neste caso, o abastecimento é realizado atualmente pelo produto proveniente da safra das águas, e o excesso de chuvas, em  janeiro, influenciou na  redução da oferta do produto, pressionando os preços. Já a cenoura, que passou por um período de alta de preços, seguido por uma queda abrupta e depois pela estabilidade em baixos níveis no decorrer de 2022, em janeiro voltou a ter alta nos preços. A média ponderada do mês aumentou 41,52% em relação à média de dezembro. Em todas as Ceasas analisadas  pela Conab, a movimentação total de cenoura caiu quase 10%, com a diminuição dos envios a partir de Minas Gerais e São Paulo, principais estados ofertantes.

Frutas

No mês de janeiro, dentre as frutas analisadas, a banana foi a que teve movimento de queda mais acentuado, considerando a média ponderada das cotações. A redução foi maior na Ceasa de Curitiba/PR e Rio Branco/AC, com baixas de -20,19% e -14,52%, e preços de R$ 2,40 e R$ 1,99 o quilo, respectivamente. No entanto, o Boletim Prohort aponta que a diminuição ocorreu graças à variedade da banana nanica, com boa oferta e produtos de qualidade, uma vez que a banana prata teve oscilações nos preços e na quantidade ofertada.

Outras frutas como laranja, maçã, mamão e melancia apresentaram tendência de alta nos preços em quase todas as Ceasas do país. Em termos percentuais, a elevação foi mais expressiva para a melancia, com alta nas cotações e diminuição da oferta. O Rio Grande do Sul foi o principal estado produtor desta cultura no período considerado, mesmo com a estiagem que comprometeu parte da produção. Na Bahia, a segunda parte da safra atrasou devido às chuvas, e o plantio da safrinha em São Paulo também não começou, o que contribuiu para as elevações de preço no último mês.

A laranja teve variações pequenas e moderadas das cotações, oferta controlada devido à procura industrial, além da demanda no varejo em alta e oferta em queda na segunda quinzena do mês. A maçã continua com preços elevados e a comercialização diminuiu por conta da finalização dos estoques de gala e fuji. Para o mamão, a média ponderada subiu 9,64%, pois embora a oferta da variedade formosa tenha aumentado, a colheita do papaya foi menor devido às chuvas.

Opções mais baratas

Para quem procura alternativas mais em conta, o Boletim Prohort também indica alguns produtos que tiveram queda nos preços em janeiro. Dentre as hortaliças comercializadas na Ceagesp/SP, por exemplo, destacaram-se na redução da média de preços o pimentão (-35%), a vagem (-24%), o gengibre (-15%) e a moranga (-12%). Já em relação às frutas comercializadas nesse entreposto, comparando-se os mesmos períodos, tiveram redução nas cotações a lichia (-51%), o abacate (-46%), o caqui (-41%), a jabuticaba (-41%), o limão (-38%) e o mangostim (-34%).

Os dados estatísticos do Boletim Prohort da Conab são levantados em doze Centrais de Abastecimento localizadas em São Paulo/SP, Belo Horizonte/MG, Rio de Janeiro/RJ, Vitória/ES, Campinas/SP, Curitiba/PR, São José/SC, Goiânia/GO, Recife/PE, Fortaleza/CE, Rio Branco/AC e Brasília/DF. As análises completas podem ser acessadas no 2º Boletim Hortigranjeiro Fevereiro 2023 (https://www.conab.gov.br/info-agro/hortigranjeiros-prohort/boletim-hortigranjeiro), com detalhes da comercialização dos hortifrutis e também informações sobre as exportações das frutas brasileiras.

Asimp/Conab

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.