Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Karl Marx imaginava que o Capitalismo fosse perecer quando o Proletariado se unisse e tomasse para si os Meios de Produção, com a Ditadura do Proletariado, gerando uma sociedade mais justa e igualitária, onde a cada um seria destinado segundo sua própria necessidade.

A tal da ditadura do proletariado não deu certo em nenhum lugar do planeta, mas ainda vemos alguns barbudos raivosos proclamando a morte da burguesia, na propaganda política bancada com o meu, o seu, o nosso dinheiro.

Temos uma nova metáfora mesmerizando as multidões, propagada pela nova e ultramoderna versão do Capitalismo, que é o Neoliberalismo: o Empreendedorismo, nova e massiva religião vociferada por coaches e palestrantes motivacionais: “Seja empresário de si mesmo”. “Destrave a sua Prosperidade”.

Gordon Gekko, personagem de um filme antigo de 1987, “Wall Street: Poder e Cobiça”, demonstra, na voz do ator Michael Douglas, o célebre discurso sobre a verdadeira força condutora do nosso tempo: a Ganância.

“O ponto, senhoras e senhores, é que a Ganância, pela falta de uma palavra melhor, é Boa. Ganância é o Certo. Ganância funciona. Ganância clarifica, abre caminhos e captura a essência do espírito da evolução”.

Se a divindade máxima de nosso tempo é o Capital, que tem uma capacidade infinita de se reproduzir e perpetuar, seu motor está completamente descrito no discurso do personagem. A Ganância funciona. A Ganância abre caminhos.

A ditadura do proletariado foi substituída pelos motoboys ensandecidos cortando os carros para fazer a entrega mais rápida possível. Quanto mais eficientes, mais receberão no final do dia. São microempreendedores do nosso tempo. Mais trabalho, mais eficácia, mais produtividade. Gritam os gurus digitais: “Aumentem sua produtividade e faça parte do 1% dos que ganham mais”.

Byun Chul-Hann, filósofo sul-coreano, descreve em seu livro “Psicopolítica”, o processo de dominação onde a exploração não se dá mais entre o patrão, a empresa, e o empregado. Hoje, a exploração é entre o Sujeito-empreendedor-de-si-mesmo e a sua produtividade. A cultura do mais-mais-mais, ou melhor-melhor-melhor, cria uma legião de escravos do próprio trabalho e ânsias de consumo. Gordon Gekko estava coberto de Razão. A força propulsora da evolução é a Ganância. Não é o Desejo. Não é o Poder. É a ânsia voraz por engolir tudo. É a Fome infinita que produz epidemias de Obesidade e de mortes por Overdose. Além da destruição dos Ecossistemas.

Nossa única revolução possível é da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Gordon Gekko pode estar no poder, mas está errado. A Ganância não é boa. A Ganância é mortal.

Marco Antonio Spinelli é médico, com mestrado em psiquiatria pela Universidade São Paulo, psicoterapeuta de orientação junguiana e autor do livro “Stress o coelho de Alice tem sempre muita pressa” - imprensa01@grupovervi.com.br

* Os textos (artigos) aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do GRUcom -  Grupo União de Comunicação (Jornal União/Portal www.jornaluniao.com.br/Rádio e TV Jornal UniãoWeb).

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.