Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Um dos personagens mais conhecidos na cultura sertaneja brasileira, o humorista “Jeca Tatu”, deve receber uma homenagem na Assembleia Legislativa do Paraná. A proposta é do deputado Cobra Repórter (PSD) que apresentou um requerimento na segunda-feira (08) para ser aprovado pelos deputados estaduais.

Antônio Pedro da Costa Filho, conhecido como ‘’Jeca Tatu’’, é humorista e residente na região Norte do Estado, nas cidades de Londrina e Rolândia. Ele teve e tem participação em diversos programas televisivos e radiofônicos, sempre proporcionando divertimento e boas histórias por onde passa.

“Fazer as pessoas rirem é um ato de caridade e o nosso Jeca Tatu fez com maestria. Nesse sentido, entendemos justo e louvável a histórica atuação do Senhor Antônio Pedro da Costa Filho para toda a cultura paranaense e brasileira, entretendo e construindo há muitas décadas, através do humor, laços de alegria à milhares de telespectadores. Seus legados estão eternizados na memória do povo, e são dignos do reconhecimento e dos Votos de Louvor do Poder Legislativo do Estado do Paraná”, destacou o deputado Cobra Repórter.

História

Antônio Pedro da Costa Filho iniciou na vida artística antes dos 10 anos de idade, através do circo. Nascido em 26 de agosto de 1936, no município de Uberaba, em Minas Gerais, Antônio Pedro é filho de Antônio e Etelvina de Jesus. A vida difícil o fizeram ser um homem de princípios, sábio diante das intempéries da vida, valorizando cada momento de alegria, compartilhando-as com as outras pessoas.

Apesar de mineiro, Jeca Tatu criou raízes no Estado do Paraná, onde desenvolveu grandes trabalhos e passou a maior parte de sua vida. No ano de 1950, depois de passar por outras cidades, a família de Antônio chegou a Rolândia, residindo na fazenda Veseroda por alguns anos e trabalhando com plantações de café, sendo que atualmente, o artista está domiciliado em Londrina.

Ficou conhecido como Jeca Tatu em alusão ao personagem fictício da obra do escritor brasileiro, Monteiro Lobato. Ele era assim chamado pelos seus pais quando aprontava alguma traquinagem. Com o passar do tempo, o apelido Jeca Tatu passou a incorporar o artista em suas interpretações Brasil afora. O renomado comediante foi parceiro de importantes artistas brasileiros, como Amácio Mazzaropi e José Rico, possuindo um talento único para arrancar boas gargalhadas das pessoas, sendo protagonista de diversas obras humorísticas, como nos filmes ‘’Jeca Tatu em Legal Paca’’, ‘’Lá no Meu Sertão’’ ou ‘’Jeca Tatu e o Filho do Coronel’’, e cantor de famosas canções, como a ‘’Canção Japonesa’’, ‘’Vida da Roça’’ ou ‘’Sanfona da Véia’’, inclusive com prêmios discográficos por isso.

Por conta de seus trabalhos, o artista já recebeu diversas honrarias, como o Título de Cidadão das cidades de Santa Fé e de Cândido Mota, o prêmio do Rotary Club da Cidade de Ivaiporã, com o Título de Comendador da Cidade de São Paulo, e mais recentemente, neste ano, uma Moção de Congratulações na Câmara Municipal de Rolândia, de autoria do vereador rolandense, Paulo Sérgio de Jesus, o Ratolino.

Em 2016, Antônio Pedro da Costa Filho teve seu livro biográfico publicado, a obra “Jeca Tatu: 70 Anos de História”, que narra sua surpreendente história de vida, organizado por seu amigo Laércio José da Silva. Segundo as próprias palavras do artista, em entrevista realizada há quatro anos ao entrevistador Marcos Diego da Silva, no programa Domingo em Família, Jeca Tatu disse que ‘’o ato de fazer humor demanda muita responsabilidade’’.

Meire Bicudo e Veruska Barison/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.