Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Cento e quinze toucas de lã, confeccionadas de tricô por voluntárias, foram doadas ao Rio Grande do Sul, para vítimas da tragédia com as enchentes. Os itens foram produzidos pelo grupo de artesanato do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, na Vila Nova em Londrina, que se reúne semanalmente para desenvolver as atividades. Ao todo, dez mulheres participam, mas, o grupo está aberto para novos membros e para doações de materiais.

 “Desde 2019, todo ano a gente faz toucas para doar. Nesse ano, tivemos dificuldades e andamos comprando alguns novelos com um pequeno recurso que tínhamos. Depois, por graça de Nossa Senhora, uma pessoa conseguiu muitas lãs e doou, então, fizemos 115 toucas”, conta Kimiko Kawashima Matsuo, coordenadora do grupo. Produzindo desde abril, quando ficaram prontas em maio, as voluntárias estavam decidindo para quem doar quando ocorreu a tragédia no Rio Grande do Sul. “Uma pessoa deu a sugestão de doar para o RS, todas concordaram, embalamos e levamos os pacotes no Sesc”, explica.

O grupo se reúne toda terça-feira, a partir das 14h, no Santuário. Quem quiser participar, pode ir até uma das reuniões. Basta ter algum talento para algum tipo de artesanato ou trabalho manual. De acordo com Kimiko, algumas voluntárias são boas de tricô e crochê enquanto outras sabem costurar. “Já fizemos bicos de crochê em pano de prato, colocamos no Bazar do Santuário para vender e arrecadar fundos”, comenta. Entretanto, quem tiver outros dons e talentos também podem participar.

Além de preparar alguns itens para serem vendidos com renda revertida para o trabalho voluntário, as participantes do grupo também ajudam em algumas atividades do Santuário. “Agora vamos começar a preparar a decoração da Festa Junina. Ano passado nós que fizemos as bolas da árvore de Natal”, revela Kimiko. Quem quiser doar materiais como lãs e outros itens para o trabalho das voluntárias pode deixar as doações no Santuário. As reuniões não têm apenas trabalho: toda terça elas fazem um lanchinho. “É um momento de descontração, a gente conversa e dá risada.”

Para o padre Rodolfo Trisltz, pároco e reitor do Santuário, esse trabalho voluntário é importantíssimo para o Santuário e para as participantes. “Sob todos os aspectos o grupo de artesanato é importante, desde o psicossocial, em que elas se reúnem, criam laços de amizade e vínculos, além do voluntariado, ajudando o próximo como talento que Deus deu a cada uma”, ressalta o sacerdote.

Santuário

O Santuário de Nossa Senhora Aparecida, na Vila Nova em Londrina, nasceu como capelinha em maio de 1940. Em 1º de março de 1952 se transformou em paróquia e em 1997 foi elevado a Santuário, convertendo-se num centro de evangelização, peregrinação e referência no turismo religioso, recebendo devotos e fieis do Paraná e de outros estados, afinal, as promessas podem ser cumpridas no Santuário de Londrina. A Festa da Padroeira, hoje, recebe mais de 40 mil pessoas somente no dia da padroeira do Brasil.

Fábio Luporini/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.