Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Escola Municipal de Dança de Londrina comemora 30 anos e remonta pela primeira vez o famoso balé de repertório; ingressos já estão à venda

De 30 de novembro a 3 de dezembro, cerca de 300 bailarinos ocupam o Teatro Ouro Verde para apresentar um dos espetáculos de balé clássico mais célebres da história da arte do movimento. É a primeira vez que a Escola Municipal de Dança de Londrina enfrenta o desafio de adaptar a obra com composição de Tchaikovski montada originalmente pelo Teatro Bolshoi de Moscou no fim do século XIX. A escolha é por um motivo especial: a celebração de três décadas de trabalho ininterrupto da instituição, hoje uma das referências da formação em dança no sul do país.

As apresentações serão sempre às 20 horas, no Teatro Universitário Ouro Verde, com classificação indicativa livre. Os ingressos, com valor de R$30 e R$15 (meia-entrada), estão à venda na bilheteria física da Funcart (Rua Senador Souza Naves, 2380), que funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 13h30 às 20 horas.

Com direção geral de Marciano Boletti (também diretor do Ballet de Londrina) e coordenação de Luciana Lupi (que coordena a Escola Municipal de Dança), a versão londrinense de “O Lago dos Cisnes” será apresentada na íntegra, com quatro atos e duas horas de duração. O balé de repertório conta a história de amor do príncipe Siegfried e de Odette, transformada em cisne junto de seu séquito pelo mago Rothbart. Apenas em algumas horas do dia, a princesa retorna à forma humana. O feitiço só pode ser quebrado por um homem que a ame.

É em uma de suas caçadas no lago que Siegfried fica apaixonado pela beleza dos cisnes e conhece Odette, prometendo que a libertará de sua cruel condição. O mago, entretanto, traça uma nova estratégia: transforma sua filha Odile em uma mulher idêntica a Odette e apresenta-se como cavaleiro e pai da moça na corte do príncipe, confundindo-o. Enfeitiçado por Odile, Siegfried quebra o juramento feito à sua amada na célebre dança do cisne negro. Amparada pelos cisnes brancos, Odette lamenta sua má sorte e só compreende a situação quando o príncipe chega e explica as trapaças e enganos aos quais foi submetido pelo mago. Ela o perdoa e eles renovam os votos de amor. Ao longo das décadas, diferentes versões do final foram idealizadas por coreógrafos – assim também será na versão londrinense, que reserva surpresas ao público.

A preparação do espetáculo começou em julho com a adaptação coreográfica e ensaios das turmas de balé regular do 2º ao 8º ano da EMD, além da integração dos alunos com bailarinos já formados pela instituição e convidados do Ballet de Londrina. Nas quatro noites, revezam-se dois elencos principais: o primeiro protagonizado por Lara Bera e Matheus Nemoto e o segundo, por Isabela Fajardo e Danilo Bonartuchi. Os papeis principais são desempenhados por oito formandos da Escola. “É um balé tecnicamente desafiador e que exige principalmente do corpo de baile, porque tem muita sincronia e formações geométricas”, explicou Lupi.

Escolher “O lago dos cisnes” para os 30 anos, porém, é uma forma de celebrar o processo de crescimento e amadurecimento da instituição. “Quando tudo começou, tínhamos apenas uma turma, não conseguíamos ter este volume de bailarinos de hoje. A dança é muito dinâmica, a gente está sempre evoluindo, conhecendo novas formas de preparar os alunos com relação ao físico e à técnica”, pontua a coordenadora.

Paralelamente ao trabalho de movimento realizado com Boletti e com os professores da EMD, ela orquestrou a confecção das centenas de figurinos e adereços, que conferem especial beleza à cena. O cenário, que se transforma em cada ato, é composto por um módulo cenográfico que simula uma montanha e altera o nível do tablado e por imensos painéis que mimetizam a fachada e o interior do castelo do príncipe Siegfried, além do lago onde está aprisionada a bela Odette na forma da ave.

Do infantil ao contemporâneo

Nesta programação comemorativa, que se estende de quinta a domingo, a EMD também pensou em uma versão para e por crianças de “O Lago dos Cisnes”. Ela será apresentada como matinê no domingo, dia 3 de dezembro, às 16 horas, no Teatro Ouro Verde, com os mesmos valores de bilheteria. O espetáculo leva para a cena parte do elenco original junto de estudantes de turmas iniciantes da Escola – do Pré-Balé ao 1º ano. Para esta adaptação, com cerca de 60 minutos, foram escolhidas cenas mais lúdicas, que devem encantar o público infantil.

Já no sábado, 2 de dezembro, às 16 horas, cerca de 200 alunos do curso regular e livre apresentam uma coletânea de coreografias inéditas no espetáculo chamado “Fragmentos de dança contemporânea”. Os ingressos também podem ser adquiridos na Funcart pelo valor de R$20 e R$10 (meia-entrada)

Os recursos obtidos na bilheteria são revertidos à manutenção da Funcart e para cobrir custos da montagem não previstos em financiamento público. A Fundação Cultura Artística de Londrina é uma instituição sem fins lucrativos que tem patrocínio da Prefeitura de Londrina. O trabalho artístico da Fundação engloba a esfera social, com cerca de 80% de alunos bolsistas integrais ou parciais, parte deles selecionados pelo projeto Dança nas Escolas e Iniciação à Dança, além de parcerias com a Secretaria de Assistência Social e de Educação. “O Lago dos Cisnes” conta ainda com apoio da Casa de Cultura da UEL, Rádio UEL FM e Dr. Digital Comunicação Visual.

Renato Forin Jr/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.