Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Considerada a melhor edição da história, o 10º Festival Hip Hopé Vermelho terminou ontem levando um público de mais de 2 mil pessoas ao Plazza Eventos no último fim de semana (28 e 29 de janeiro) com muita música, dança e atividade. A cada ano, o festival vem conquistado um público cada vez maior, e fortalecendo o movimento hip hop em Londrina e região. A iniciativa conta com o patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura, através do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC).

“Identificamos muita inclusão tanto da comunidade LGBTQIA+, pessoas negras, e mulheres, além do público que acompanha o evento há anos. A troca de experiências foi incrível, com muito aprofundamento profissional O público também aderiu bastante com a surpreendente presença dos londrinenses, além de pessoas de outras cidades do Paraná, e de estados como Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará”, avaliam Fran Tomaz e Mr. Rei, da comissão organizadora do evento.

O evento também contou com workshops ministrados por um time de profissionais de renome internacional como Darlita Albino; B-Boy Kley; Fran Manson; Gui Negão; Carlos Augusto Soares; e Mayara Collins, paraense conhecida como Mini Japa, da Seleção Brasileira de Breaking, que marcou presença no evento ministrando oficina.

Ela dá a letra: “Foi um evento leve, onde todo mundo estava interagindo. Ao terminar as battles, uma coisa que me chamou muita atenção, foi que todo mundo se abraçava, independente do resultado. E o melhor: todo mundo estava dançando junto. Foi um evento muito agradável.”

Premiação

Neste ano, o Festival premiou as Batalhas de MCs, de Breaking (2x2),  All Style (3x3) e Grupo, no valor de R$5 mil reais, além da entrega de troféus. Na categoria grupo, o vencedor foi o “Urban Teens”, que recebeu o valor de R$2 mil; na modalidade 3x3 All Style, o prêmio de R$1 mil foi para o “BBW Crew”; no Breaking, os vencedores foram o “Vision Crew”, com a premiação de R$1 mil e na Batalha de MC, o campeão foi Tuga, que levou para casa o valor de R$1 mil.

“O resultado foi melhor do que esperávamos. As batalhas e as competições trouxeram qualidade três vezes superior às outras edições, os grupos melhoraram muito, com padrão de qualidade excelente. Achamos que foi a melhor edição em relação a público energia, presença de muitas famílias, as lojinhas venderam bem. Um resultado super positivo”, dizem os organizadores.

Emilia Miyasaki/Asimp

#JornalUnião

Paraense conhecida como Mini Japa, da Seleção Brasileira de Breaking, marcou presença no evento ministrando oficina - Divulgação

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.