Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Evento vai oferecer 28 cursos para educadores e gestores musicais, com direito a certificado; inscrições podem ser feitas até 6 de julho

Estão abertas até 6 de julho as inscrições para as oficinas e cursos do 43º Festival Internacional de Música de Londrina (FIML), que será realizado entre os dias 9 e 16 do mês que vem. No total, serão oferecidos 28 cursos, abordando teoria e prática e envolvendo instrumentos e vocais nos mais diferentes estilos e estéticas. Em média, cerca de 30 pessoas devem participar de cada curso, e os valores de inscrição vão de R$ 30 a R$ 60, a depender da carga horária da atividade. Ao fim de cada oficina, será oferecido certificado de participação.

Para conferir a programação completa de oficinas e cursos e acessar o formulário de inscrição, basta acessar o site do FIML no endereço www.fiml.art.br. A 43ª edição do festival será realizada em formato presencial, na sede do Colégio Hugo Simas (Rua Pio XII, 195), Associação Médica de Londrina (Avenida Harry Prochet, 1.055), Colégio Aplicação (Rua Piauí, 720) e Cultural Hall (Rua Professor João Cândido,1.156). O evento conta com patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic).

A diretora pedagógica do FIML, Magali Kleber, contou que as expectativas para o evento são altas, já que a demanda pelos cursos está crescendo bastante, e a organização espera receber o máximo de pessoas possível. “No ano passado, tivemos 400 pessoas participando, e recebemos um retorno muito positivo. Para essa edição, esperamos que o número passe para 500, já que a busca pelas oficinas está grande e esse é o limite máximo de pessoas que podemos atender”, contou.

Ainda segundo ela, um dos objetivos do festival é estimular as pessoas a valorizar mais os músicos, já que essa profissão foi bastante invisibilizada e prejudicada durante a pandemia. “Queremos que os participantes das oficinas, independentemente de pretenderem se tornar músicos profissionais ou não, saibam valorizar os músicos. Fizemos um planejamento bem estruturado, e nossa equipe está se envolvendo ao máximo para realizar o festival, então esperamos que esse evento seja um ambiente inclusivo, onde as pessoas não tenham medo de se expressar. Pensamos nisso na hora de estabelecer a programação dos cursos, e queremos que as pessoas recebam formação musical e pessoal também”, explicou.

Outros destaques da programação – O festival também oferece ações abertas e gratuitas, incluindo atividades de coro, vivência sobre a música nordestina, concertos na associação médica e atividades de rua realizadas no Calçadão. Nesta linha social, também farão parte da programação o Encontro Nacional de Orquestras Sociais e o Encontro dos Gestores de Projetos Sociais.

Uma das atrações dessa edição será o Palco Pedagógico, atividade que já se tornou marca do festival. Esse evento é como uma celebração, em que os músicos são preparados para estar no palco sem enfrentar um ambiente de competição. Dessa forma, é promovida uma atmosfera coletiva, em que as pessoas que têm facilidade em estar no palco ajudam as outras. Como resultado, os participantes se tornam profissionais mais preparados, sabendo lidar com a vergonha, medo e inseguranças.

História

O primeiro Festival de Música de Londrina, na época conhecido como 1° Festival de Música Barroca, foi organizado em 1979. Desde então, o evento recebeu diversos músicos de destaque, tanto locais como estrangeiros, incluindo o pianista Homero Magalhães, a Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina, Luiz Paulo Horta e Ricardo Cravo Albin, Arrigo Barnabé, Guinga, Zimbo Trio e Daisuke Soga, entre outros nomes.

Em 1987, foi fundada a Associação de Amigos do Festival de Música de Londrina, reconhecida como entidade pública municipal e estadual sem fins lucrativos, com o compromisso de apoiar o Festival na sua organização, divulgação e captação de recursos.

No ano de 1999, o pianista Marco Antônio de Almeida torna-se o diretor artístico do Festival, que no mesmo ano foi regulamentado para ser realizado anualmente no mês de julho, com a duração de aproximadamente 20 dias e tornando-se um evento oficial do calendário cultural do Paraná.

Por conta da pandemia de Covid-19, o FIML foi realizado de forma on-line em 2020, e voltou a ser presencial em 2021, mantendo esse formato em 2022 e 2023.

Giulia Carradore/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.