Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Os alunos das escolas municipais de Londrina que integram o projeto “Orquestrando o Futuro”, iniciativa pedagógica criada pela Orquestra de Câmara Solistas de Londrina, vão ter a oportunidade de participar do primeiro concerto e apresentar o que aprenderam durante o ano todo nas oficinas de musicalização.

Serão duas apresentações, nesta quarta (29) e quinta-feira (30), a partir das 19h, no Espaço Villa Rica. Na plateia, familiares e amigos poderão conferir o trabalho realizado pelas crianças durante o aprendizado. A entrada é gratuita e os ingressos foram distribuídos para as famílias dos estudantes.

“Este momento é o mais esperado por todos os alunos, uma oportunidade de estar no palco do teatro e mostrar o aprendizado para uma plateia muito especial, a família”, explica Irina Ratcheva, coordenadora do projeto. “Temos muito orgulho deste projeto, junto com todo o apoio da Secretaria de Educação e das famílias, pois em poucos meses o projeto mudou a vida de muitas crianças.”

Este ano, mais de 600 alunos de Escolas Municipais de Londrina participaram do projeto. Hoje (29), vão se apresentar os alunos das escolas Luiz Marques Castelo, Aristeu dos Santos Ribas, Suely Ideriha e José Hosken de Novaes; quinta feira (30) é a vez dos alunos das escolas Norman Prochet, Nair Auzi e Arthur Thomas.

Os alunos serão acompanhados pelos professores Natanael Fonseca, coordenador das oficinas, e Bárbara Scarinci, Múcio Lobato, Kelleagnes Marques, Jorge Luiz Silva, Miriam de Souza e pelo violoncelista Vanderlei de Oliveira.

“As turmas de violino, violão e percussão, junto com os seus professores, vão apresentar um repertório que foi trabalhado nos últimos três meses especialmente para os concertos de encerramento. Canções do folclore brasileiro infantil fazem parte do programa, além de arranjos instrumentais de obras eruditas universais, como Primavera de Vivaldi e Marcha Alla Turca de Mozart”, conta Irina.

Vivência musical

O Projeto “Orquestrando o Futuro” tem como objetivo estruturar e aplicar a vivência musical através de oficinas de musicalização, além de oferecer a introdução à prática de ensino coletivo, utilizando instrumentos de cordas e percussão.

“Mesmo com o número de instrumentos ainda limitado, todas as crianças tiveram possibilidade de praticar e vão levar a performance para o palco. Estamos com várias ações para adquirir para o próximo ano instrumentos para todos os participantes".

Alunos iniciantes

O projeto integra um processo que busca novos caminhos para investir na educação e na cidadania, e também fomentar a educação musical nas escolas. A ideia consiste em propor e aplicar uma prática de orquestra de cordas para crianças que não possuem experiência instrumental prévia.

Destinada a alunos iniciantes, entre 7 e 11 anos de idade, a prática se baseia no ensino coletivo onde todos os instrumentos de cordas serão ensinados. O método valoriza a música como ponto de partida para o ensino da técnica, tornando a experiência mais acessível para os alunos.

Benefícios às crianças

Com patrocínio da Secretaria Municipal de Educação de Londrina e realização da Artis Colegium Associação Cultural, o projeto "Orquestrando o Futuro - Oficinas de Musicalização" é uma das ações pedagógicas desenvolvidas pelos integrantes da Orquestra de Câmara Solistas de Londrina, que este ano comemora seus 25 anos de atividades ininterruptas.

“Iniciamos a parceria entendendo a necessidade de ampliar o conhecimento dos alunos em nossas escolas com a música, introduzindo a possibilidade de conhecerem novos repertórios, estilos, bem como a utilização de instrumentos de cordas e percussão que melhoram a função cerebral, atenção, planejamento, organização e outras habilidades que são desenvolvidas. A equipe do projeto demonstrou muita dedicação e comprometimento no desenvolvimento do projeto durante todo o ano letivo, finalizando com a apresentação nos dias 29 e 30”, analisa Carla Cordeiro, responsável por projetos pedagógicos e eventos da Secretaria Municipal de Educação.

Abordagem lúdica

As oficinas abordam o ensino dos instrumentos de cordas com ludicidade, através de jogos, dinâmicas e histórias, tentando sempre aproximar-se ao máximo do universo da criança. O aprendizado de um instrumento musical e o engajamento em grupo faz desenvolver o senso de disciplina, de compromisso, a concentração, autoestima, senso de cooperação, interação entre os participantes, além do respeito pelos colegas, professores, pela música e seus instrumentos.

O aprendizado também estimula e desenvolve a independência, a liberdade, responsabilidade, autoconfiança e senso crítico. Considerando as dificuldades e a falta de oportunidades para estudar música, a iniciativa quer atingir nos próximos anos o maior número de escolas.

Metodologia

A metodologia de ensino do projeto 'Orquestrando o Futuro' utiliza prioritariamente o tradicional folclore musical brasileiro, principalmente as Cantigas de Rodas e Cirandas. Além das oficinas, os alunos também têm acesso ao guia didático, com conteúdos disponibilizados na plataforma online, e ainda participam de diversas atividades como concertos didáticos, palestras, apresentações e rodas de conversas.

Emilia Miyazaki/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.