Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Na sua 32ª edição, o “Viva Elis” preenche as noites de quinta-feira de janeiro em Londrina para homenagear uma das maiores vozes da música brasileira

Fãs costumam ser movidos pela paixão. O palco e a plateia do Bar Valentino (R. Pref. Faria Lima, 486 - Londrina), há 32 anos, recebe fãs da cantora Elis Regina para celebrar a “Pimentinha” em janeiro, mês da morte da cantora brasileira. Em 2024, serão quatro shows, sempre às quintas-feiras, a partir do dia 11 e até o começo de fevereiro. Escalados para o Viva Elis, Marquinhos Diet e a cantora Sabrina Vargas abrem o calendário do evento no dia 11; seguidos por Suy Correia e Gata de Botas, no dia 18; Tonho Costa e Aduba no dia 25 e na primeira quinta-feira de fevereiro, Maitê Motta, Eduardo Sahão e Monique Kodama. Os ingressos para cada show podem ser adquiridos antecipadamente on-line, nas plataformas Sympla e Eventiza, com preços diferenciados, na portaria no dia de cada evento, custam R$ 30,00. A casa abre às 19h30 com os shows programados para acontecer a partir das 20h. O espaço é sujeito a lotação e os assentos disponíveis serão ocupados por ordem de chegada, sem reserva de mesas.

O projeto nasceu do desejo e saudade de um fã, Valdomiro Chammé, sócio do Bar Valentino, que quis criar um evento quando a morte da artista completou dez anos, em 1992. Desde a primeira edição, ele teve vários nomes: “Homenagem à Elis”, “Lembra Elis”, “Especial Elis Regina” e desde 2002 se chama “Viva Elis”. Chammé diz que a realização do projeto, a cada ano, parece acontecer por magia. “No evento de 30 anos achei que a missão estava cumprida, mas três meses depois já recebia pedidos de artistas que gostariam de participar da edição seguinte. Tem gente que acompanha o Viva Elis  desde o começo, gente que vem de fora especialmente pra assistir a pelo menos um show. Mas também tem o público mais novo, acompanhando os pais ou que vem para curtir seus artistas preferidos interpretando o repertório de Elis. Alguns têm como referência não a Elis, mas a Simone Mazzer, que iniciou o projeto e participou em tantas outras edições”, conta. Fator de atração de público, na opinião do empresário, a qualidade do repertório junto com o capricho, cuidado e amor que tanta gente talentosa tem pelo projeto. “São meses dedicados à missão de tirar, arranjar e ensaiar o repertório para uma única noite de apresentação. Elis sabia como ninguém escolher as músicas e interpretar com personalidade. A cada ano somos surpreendidos com cantores e músicos trazendo as próprias inspirações para o palco do Bar Valentino”, comenta. 

A discografia de Elis Regina se estende por mais de 30 álbuns, entre discos gravados em estúdio, ao vivo e EPs isso sem contar os singles, que seriam mais de 20. Tanto material à disposição e a longevidade do “Viva Elis” proporcionam ao público e aos artistas um rico passeio pelos mais variados estilos da obra de Elis Regina. As gravações imortalizadas pela artista também trazem lembranças. Sabrina Vargas, que abre a programação do Viva Elis 2024 junto com Marquinhos Diet, conta que embora a artista não se fizesse tão na discoteca de casa como Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil, Chico Buarque e Maria Bethânia, passou a fazer parte do cotidiano dela quando o canto se tornou uma profissão, com muitas das suas músicas no repertório até hoje. Sabrina,  que já participou de vários “Viva Elis”, diz que o desafio para essa edição foi escolher as faixas preferidas para entregar em um show mais intimista. “Elis é atemporal. Sua obra traz os melhores compositores brasileiros e seu canto foi e sempre será único. Me atrevo a dizer que ela ainda é a maior referência musical brasileira”.

Marquinhos Diet revela que conheceu o talento de Elis na década de 1970, ouvindo rádio AM, com as músicas cantora misturadas à programação popular. Foi assim que ele descobriu sucessos como  “Fascinação”, “Como Nossos Pais”, “Romaria”, “O Bêbado e a Equilibrista”, “Águas de Março” e “Casa no Campo”, todas no setlist do show do dia 11 de janeiro. Ele reconhece a dificuldade de um show com um repertório com tantas músicas que marcaram a vida de tanta gente. “Faremos à nossa maneira, nos nossos tons, com nossos arranjos. Nossa intenção é homenageá-la e homenagear esses incríveis compositores”, afirma. “O Viva Elis permite que a obra de Elis permaneça em movimento, ao vivo, na noite de Londrina. Permite que os fãs de seu trabalho, incluindo o público jovem,  possam ter acesso à sua música e a poesia de alto nível que cantava. Sua obra segue encantando gerações”, comenta Diet. O que o público vai ouvir é uma coleção das músicas preferidas da dupla, apresentadas no formato voz, violões e percussão, com a participação de Marcos Santos e Alexandre Malagutti.

Ingressos antecipados: https://www.sympla.com.br/evento/viva-elis-com-sabrina-vargas-e-marquinhos-diet/2288141

Janaína Ávila/Asimp

#JornalUnião

Tonho Costa e Aduba - Foto: Bruno Ribeiro e Camila Côrtes/Divulgação

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.