Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Após o aparecimento de misteriosos desenhos numa lavoura de trigo, numa cidadezinha do interior do Brasil, ufólogos do mundo inteiro chegaram ao local para estudarem mais um caso dos chamados agroglifos, que são grandes formações criadas por meio do achatamento de uma plantação, como cereais, trigo, cana e capim. 

Estas marcas normalmente são complexas e na maioria dos casos, são formadas por determinadas condições climáticas ou pelo próprio homem. Em pouquíssimas ocasiões, os casos se tornaram tão inexplicáveis, que acabaram sendo atribuídas a extraterrestres.

Neste caso, dos desenhos na lavoura de trigo, vários experts no assunto formulavam suas teorias e considerações para tão elaborado simbolismo e intrincadas formas geométricas, com círculos, heptágono, retângulos e estrelas.

Seria humanamente impossível alguma pessoa, ou mesmo um grupo de pessoas realizarem tais desenhos com tamanha perfeição.

Após muito estudarem os símbolos em questão, os cientistas e ufólogos estavam convictos que se tratava realmente de sinais feitos por seres avançados de outro planeta, na tentativa de se comunicarem com os terráqueos.

Mas, qual seria a mensagem? Como decifrar aqueles desenhos enigmáticos?

Então surge o Zé.

—  Essa mensagem contém a chave para que a humanidade possa salvar seu planeta!

Os ufólogos, cientistas e o público em geral que acompanhavam tais aparições na plantação não deram muita atenção ao simples homenzinho que vestia calça jeans e camisa de flanela quadriculada com um bonezinho do Chicago Bulls bastante surrado.

— Na verdade, sou eu o responsável por esses desenhos.

— Maluco! - Diziam as autoridades da cidade e os entendidos no assunto.

— Ainda não estou autorizado a revelar tal segredo. Mas posso provar que sou eu quem está realizando esses desenhos.

E assim foi feito. O homenzinho, com uma ripa de madeira presa por cordas ao redor do corpo, passou a amassar a plantação de trigo e formar desenhos em uma grande área. Após cerca de duas horas amassando a vegetação, outro desenho enigmático foi formado, muito parecido com o que havia sido feito há dias atrás.

— Mentiroso! Fraude! - Diziam os ufólogos e cientistas ao compararem os desenhos e constatarem que haviam semelhanças, mas eram diferentes.

Para eles, o Zé só queria aparecer. 

O Zé acabou escorraçado da cidade. Persona não grata, teve que fugir para não ser ainda mais humilhado e até mesmo agredido pelos moradores e principalmente, pelos entendidos em sinais extraterrestres.

Na noite seguinte, um objeto luminoso veio do céu e chegou até a plantação de trigo. Uma multidão de curiosos, incluindo ufólogos, cientistas e autoridades que estavam no local, acompanharam abismamos o objeto pairar sobre a plantação. Uma figura aos poucos foi se aproximando do objeto.

Quando as luzes da nave extraterrestre iluminaram o ser que se aproximava, puderam constatar que era o Zé.

Ele tirou as roupas e o bonezinho do Chicago Bulls, e então todos perceberam sua cabeça alongada e o corpo pequeno e esquisito.

O Zé foi teletransportado para dentro do objeto voador, que imediatamente, subiu até as nuvens e desapareceu na noite escura para nunca mais voltar.

Somente após um ano desse acontecimento. Os ufólogos finalmente decifraram a mensagem deixada pelos extraterrestes para salvar o planeta:

“ACREDITEM NO ZÉ!”

Rodrigo Alves de Carvalho nasceu em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Em 2022 relançou seu primeiro livro individual intitulado “Contos Colhidos” pela editora Clube de Autores, disponível na Amazon, Americanas.com, Estante Virtual e Submarino - rodrigojacutinga@hotmail.com

* Os textos (artigos) aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do GRUcom -  Grupo União de Comunicação (Jornal União/Portal www.jornaluniao.com.br/Rádio e TV Jornal UniãoWeb).

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.