Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O livro “Uma vontade enorme de gritar” reúne textos escritos por 30 mulheres e já está disponível para download gratuito

Está disponível o e-book “Uma vontade enorme de gritar”, que reúne textos escritos por mulheres detidas na Cadeia Pública Feminina de Londrina. O material, disponível para download gratuito neste link, foi elaborado durante o projeto “Escrita e cura: Oficina de criação literária para mulheres”, que foi realizado dentro da Cadeia e passou, também, pela Biblioteca Pública Municipal de Londrina, pelo Assentamento Eli Vive I e II e pela Casa Abrigo Canto de Dália, que acolhe mulheres vítimas de violência, da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM).

O “Escrita e cura” é um projeto selecionado pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic),  concebido pela jornalista e doutora em Letras pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), Layse Barnabé de Moraes, que também organizou o e-book. Em sua pesquisa de doutorado, Moraes explorou a poética da cura na escrita feminina. “Esse projeto é voltado para oficinas de criação literária para mulheres de diversos espaços da cidade de Londrina”, explicou.

Através de oficinas de leitura e escrita acessíveis a todos, o propósito central do projeto é expandir os horizontes além do âmbito acadêmico, introduzindo a obra de autoras femininas como ponto de partida para debates, reflexões e escritas criativas. 

Layse contou que ficou bastante surpreendida com a recepção e dedicação das mulheres nas oficinas. “A gente recebeu mulheres bastante interessadas nos assuntos, mas, especificamente, na Cadeia Pública Feminina, que é o grande destaque do projeto, eu sempre tive muita expectativa desse lugar, de entrar nesse lugar e fazer o trabalho com as mulheres que ali estão. Eu não imaginava que ia ser tão incrível, que elas iam ser tão generosas, dedicadas, receptivas com o projeto e tão talentosas; Elas são mulheres extremamente talentosas, que escrevem muito bem, desenham muito bem, que são muito sensíveis”, explicou.

As oficinas ocorreram todas de forma presencial, durante os meses de janeiro e fevereiro, em uma sala reservada na Cadeia Pública Feminina. Cada encontrou contou com a participação de 30 mulheres. 

Após percorrer quatro espaços distintos e envolver mais de 100 participantes, a equipe do projeto, composta também pela jornalista e poetisa Isabela Cunha, chegou à conclusão de que a produção na Cadeia Pública Feminina teve um impacto excepcional, forçando uma alteração significativa de rumo. A organizadora avaliou que a experiência na Cadeia Pública Feminina ultrapassou em muito as expectativas, destacando o envolvimento, a intensidade dos encontros e a grande quantidade de textos gerados na Oficina, os quais se tornaram critérios de seleção para o livro.

Desta forma, “Uma vontade enorme de gritar” reúne não apenas os textos produzidos durante os encontros da oficina, mas também aqueles criados fora dela. Isso ocorreu porque, a partir da vivência proporcionada pelo projeto, as mulheres passaram a escrever mais em seu dia a dia, mesmo quando não estavam nos encontros, incorporando a escrita em suas rotinas nas celas.

Rebeca Vernillo/NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.