Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A exposição “Cotidiano, Memória e Afeto” é um exercício coletivo de curadoria, desde a definição do eixo curatorial, passando pela escolha dos artistas, a montagem e tudo mais que envolve a produção de uma exposição de artes visuais.

Proposto no âmbito da disciplina de Espaços Relacionais III do Curso de Licenciatura em Artes Visuais da UEL e viabilizada pelos estudantes dos segundos anos do referido curso, o exercício curatorial envolveu nove artistas contemporâneos que residem em Londrina.

Explorando as interseções entre três conceitos intrínsecos às nossas vivências, a exposição "Cotidiano, Memória e Afeto" oferece um mergulho visual na experiência humana através dos olhos dos artistas, criando um ambiente imersivo e provocativo.

Viver talvez seja uma expressão multifacetada, repleta de sutilezas que se entrelaçam no cotidiano, marcadas por memórias e afetos. A partir disso, a exposição propõe uma experiência que permite mergulhar-se nas complexidades da existência, utilizando o cotidiano como tela, a memória como pincel e o afeto como paleta.

Cada obra exposta é um testemunho, uma narrativa visual que fornece um vislumbre nas vivências individuais de cada artista que generosamente nos permite assistir a materialização de suas reflexões e os seus processos de transformação do comum em extraordinário.

A abertura da exposição “Cotidiano, Memória e Afeto” acontece na quarta-feira, 21/02, na Galeria do Departamento de Arte Visual – CECA/UEL.

Artistas: Caio de Souza; Chico Santos; Claudio da Costa; Diego Gabriel; J. Oshiro; Luiza Braga; Lunnart; Rebecca Hibari e Yoshiya.

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.