Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Ex-integrante do Duofel, violonista radicado em São Paulo apresenta suas composições ao lado de Marcello Casagrande e Mateus Gonsales no Teatro Ouro Verde, no dia 19/11

Londrina está voltando a ser cenário de grandes encontros musicais. Conhecido como integrante do renomado Duofel, o violonista Luiz Bueno vem à cidade para o show de lançamento do disco Magia Instrumental, com músicas próprias gravadas ao lado dos londrinenses do Duo Clavis, recém lançado nos serviços de streaming. Ao lado de José Marcello Casagrande (vibrafone) e Mateus Gonsales (piano), o instrumentista e compositor radicado em São Paulo se apresenta no próximo dia 19 (sábado), no Cine Teatro Ouro Verde (R. Maranhão, 85), às 20 horas. Um encontro inédito, proporcionado pelos desígnios prazerosos da música.

O show será um momento raro. Primeiro, pela recente carreira solo de Luiz Bueno, após mais de quatro décadas dividindo os violões com Fernando Mello no Duofel. Segundo, pela parceria com o Duo Clavis, firmada a partir de mensagens trocadas pelas redes sociais. A combinação de piano, vibrafone e violão cutucou a criatividade de Luiz Bueno, até que ele compôs, no improviso, nove músicas inéditas para a formação. 

Natureza

Magia Instrumental registra as obras dedicadas ao Duo Clavis e será lançado como álbum nas plataformas digitais no dia 18 de novembro. A natureza orgânica das músicas levou Luiz Bueno a associá-las às plantas utilizadas pelos povos originários da Amazônia como rapé em rituais de cura. O feeling do improviso, carregado de experiências, lembrou os saberes ancestrais da floresta, exuberantes na delicadeza transcendente do imenso ecossistema.

Compostas em momentos de fluxo criativo, as nove faixas de Luiz Bueno encaixam-se perfeitamente à linguagem desenvolvida pelo Duo Clavis ao longo dos anos, com a espontaneidade conferindo fluidez à complexidade musical.

O disco é também uma celebração. Afinal, o encontro do Duo Clavis com Luiz Bueno - que se conheceram pessoalmente no estúdio - só foi possível porque os três músicos estavam dispostos a correr os riscos de uma produção nada convencional e, por isso mesmo, surpreendente.

Experiência

“Foi uma experiência enriquecedora no sentido musical, da sabedoria, da administração de uma carreira, da elaboração do projeto, da conceitualização de um álbum, da concepção de um trabalho consistente”, destaca Marcello Casagrande. A percepção é reforçada por Mateus Gonsales: “Gravar com Luiz Bueno foi, sem dúvida, uma experiência incrível. Ele, com o Duofel, rodou o mundo levando o nome da música brasileira, tocando em grandes festivais. Receber o convite para gravar um álbum com um músico desses é o sinal de que estamos no caminho certo”.

Com a singularidade característica do trabalho artesanal, Magia Instrumental também surpreendeu Luiz Bueno: “Quero parabenizar essa cidade, que sempre proporcionou grandes músicos. Os dois são excelentes, quebram tudo e executam as minhas composições com uma perfeição incrível”.

Ranulfo Pedreiro/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.