Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Celebrando a receptividade noprimeiro encontro entre Livros Humanos e Leitores, realizado no mês passado, o projeto Livro Aberto - Convite para Ler Pessoas retorna à Biblioteca Pública de Londrina (Av. Rio de Janeiro, 413),  no dia 20 de março, às 14h30, para uma segunda edição repleta de histórias que transcendem páginas. A iniciativa, apoiada pelo Promic – Programa Municipal de Incentivo à Cultura, é oportunidade para substituir a leitura de páginas pela “leitura de pessoas”, em uma estratégia para refletir sobre os preconceitos que todos carregamos.

É possível ter uma noção do impacto do encontro entre os Livros Humanos e os Leitores/as lendo as mensagens escritas pelos participantes da 1ª Edição. São registros das percepções ao ouvir histórias reais, vividas por moradores da cidade, marcadas por preconceito, discriminação e visões estereotipadas. Os textos estão expostos num painel na Biblioteca Pública de Londrina e revelam sensibilização, identificação, indignação, empatia e solidariedade.

Neste próximo encontro, além de 6 Livros Humanos da edição anterior, o projeto  apresenta Cleber Kronun Kaingang, aluno do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Londrina, que vai compartilharInh Jykre Kame - Minha História, revelando seu olhar sobre o preconceito associado aos povos indígenas e um pouco da cultura do povo Kaingang, além da arte que ele desenvolve como fotógrafo e cineastapreservando a memória ancestral.

Os Livros Humanos da primeira edição que retornam para compartilhar suas jornadas são:

Alessandra Fanelli, falando do capacitismo emEssa sou Eu!,história de sua experiência como mãe de uma adolescente com paralisia cerebral.

Alex Lopes, trazendo sua trajetória de superação da vida nas ruas, enfatizando a resiliência e a esperança de recuperação em Os Invisíveis.

Jodair Moreno, educador e artista, que oferece Os Conflitos de uma Adolescência no Armário, um relato pessoal sobre a questão da sexualidade e os preconceitos.

Marina Stuchi, compartilhando Como Eu Cheguei até Aqui, um convite à reflexão sobre as violências sofridas pelas mulheres.

Mira Roxo, educadora e atriz, com A menina ruiva e o Padre que Pegou Fogo, desvendando preconceitos através de uma narrativa envolvente.

Poliana dos Santos, educadora, que apresenta A Revista do Piolho e Outras Histórias, um testemunho sobre o impacto devastador do racismo.

O evento é gratuito, porém as vagas são limitadas, por isso é necessário fazer inscrição antecipadamente pelo formulário disponível em https://forms.gle/f44pvq87JasZbjmg6

Patrocínio:

Promic – Programa Municipal de Incentivo à Cultura de Londrina

Christina Mattos/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.