Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Lançamentos de mostra e e-book da iniciativa serão na Biblioteca, a partir das 18h, e o documentário resultante do projeto será exibido às 20h, no Espaço Villa Rica

A trajetória de uma das iniciativas culturais mais importantes da história de Londrina, o Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), é o tema do projeto “Promic 20 Anos – Vanguarda e Memória”, que será lançado oficialmente na terça-feira (12).

Realizado pela Kinoarte – Instituto de Cinema de Londrina, o projeto foi viabilizado pela Prefeitura de Londrina, através da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), que publicou um edital com este propósito em março deste ano. No total, foram destinados R$ 180 mil à iniciativa, oriundos do Fundo Municipal de Patrimônio, por meio do Programa de Memória Imaterial.

Com entrada gratuita, a solenidade de lançamento será conduzida a partir das 18h na Biblioteca Pública Municipal de Londrina (Avenida Rio de Janeiro, 413), e toda a comunidade está convidada a comparecer.

Na ocasião, será aberta a exposição que integra o projeto, e que poderá ser visitada no local até 31 de janeiro. Além de painéis com diversas informações sobre as ações que foram patrocinadas pelo Promic em suas duas décadas de existência, a mostra também é composta por alguns figurinos de teatro, instrumentos musicais, livros e outros itens que fazem parte da história do programa. Haverá ainda um QR Code que poderá ser acessado pelos visitantes, e que os direcionará para uma playlist do YouTube contendo músicas de artistas que receberam financiamento do programa, assim como uma televisão que exibirá imagens em looping de produções audiovisuais.

O evento também marcará o lançamento oficial do e-book do projeto, escrito por Lúcio Flávio Moura, e que estará disponível para download gratuitamente, a partir de 13 de dezembro, no site kinoarte.org. Ainda no dia 12, às 20h, a sala de cinema do Espaço Villa Rica (Rua Piauí, 211, próximo à Concha Acústica) exibirá o documentário “Promic 20 Anos: Vanguarda e Memória”, dirigido por Luciano Paschoal. A entrada é gratuita para todos os interessados.

Conforme o coordenador da Kinoarte, Bruno Gehring, a entidade decidiu realizar o projeto “Vanguarda e Memória” tanto pelo fato de a iniciativa estar ligada ao audiovisual como porque o apoio do Promic foi fundamental para a criação e consolidação da própria Kinoarte.

“Nosso Instituto de Cinema também está comemorando 20 anos, e estamos entre os ‘filhos’ do Promic. Para resgatar a história do programa, visitamos os arquivos da Secretaria Municipal de Cultura e consultamos materiais como livros, documentos, fotografias, DVDs e CDs, entre outros. Também entrevistamos muitas pessoas, e digitalizamos fitas que elas nos forneceram”, disse.

Gehring destacou que cerca de 15 pessoas estiveram envolvidas na pesquisa, e o livro resultante contém dados detalhados, incluindo gráficos, sobre os projetos e áreas que foram contemplados pelo Promic nesses 20 anos. Segundo ele, o material será útil inclusive para a própria Secretaria Municipal de Cultura.

O coordenador da Kinoarte frisou ainda que o documentário tem como principal foco outras linguagens que não sejam a do audiovisual, como a dança, música, teatro e hip-hop. “Como o próprio documentário já é uma obra do audiovisual, decidimos colocar o nosso foco em outras linguagens. O filme aborda as pessoas que começaram suas atividades artísticas e culturais através do Promic e se profissionalizaram. Inclusive, a trilha sonora do documentário é toda composta por músicas de artistas que contaram com patrocínio do Promic”, sublinhou.

Ainda segundo ele, o Promic desempenha um papel de extrema importância para a cultura londrinense, tendo patrocinado mais de 1,7 mil projetos e investido um montante total de R$ 66 milhões no decorrer de sua história. “Aqui em Londrina, a cultura acontece em grande parte por causa dos projetos do Promic. Diferentemente de outras cidades, em que as secretarias municipais de cultura realizam as ações e eventos diretamente, a nossa Secretaria financia projetos, o que traz muito mais diversidade e dinamismo à cena cultural”, afirmou.

A diretora de Patrimônio Artístico e Histórico Cultural da Secretaria Municipal de Cultura, Solange Batigliana, disse que Londrina é uma cidade fértil na criação e formação de grupos e iniciativas culturais, e que resgatar a história do Promic preserva uma ampla gama de memórias. “É essencial que esses dados sejam preservados, assim como as vivências desses formadores de cultura, que atuam em diversas linguagens. Isso faz com que Londrina possa olhar para essa riqueza e entender a dimensão de tudo o que foi produzido através do Promic, que é uma ação que contribui para a permanência da cultura na cidade”, concluiu.

NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.