Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Venha provar um bolinho e tomar um espumante conosco. As primeiras 7 garrafas é por nossa conta

Começou, em 3 de março de 2023, como a "roda dos alunos" o encontro permanente com hora marcada, impreterivelmente 20h, sem final determinado. Ora encerrando meia-noite, uma ou três da manhã, o sacramento às sextas se tornou símbolo na contramão da tendência anti-boemia de Londrina, (determinada por sabe-se-lá quem), o que se constituiu neste um ano que, diga-se de passagem ininterrupto sem vacilar uma sexta sequer, a confraternização dos chorões amadores se configura resistência pura contra o tacanho provincianismo que macula recônditos da alma londrinense.

Sem luzes de palcos iluminados, sem cachês vultuosos, reconhecimento praticamente nenhum, a simplicidade da tal roda de sexta esconde profundas pretensões: possibilitar, em seu ambiente genuíno, um primeiro contato do músico com o universo da prática do Choro, mergulhar no repertório do gênero procurando até o fundo insondáveis tempos remetidos a meados do século XIX, desenvolver o dialeto do Choro (seus trejeitos, suas gírias, suas filigranas), propôr desafios instigadores, cobrir isso tudo com a densa atmosfera da parceria amistosa criando sentido, elos e amizade entre as e os confrades.

Viver a boemia! Selada parceria entre entusiastas das antigas belezas arquitetônicas, sócios do @daluz e os membros incansáveis da charanga do @clube.choro.londrina, que vem dia-a-dia recolhendo seus rebanhos, se firma nesta bela história: um ano de roda de Choro ininterrupta! Sobre o assoalho de madeira (de Ipê para ser mais preciso) pisaram os violões sete cordas de Gian Correa e Rogério Caetano.

Aqui se presta homenagem aos gênios da raça: Anacleto, Chiquinha, Jacob, Pixinguinha. Léo, Joel, Rabello, Abel. Jonas, Americano, Callado, Pimentel. Amélia, Nazareth...

Dos contemporâneos sem esquecer Cristóvão, Mathias, Hamilton, Neves, Gismonti, também e nós próprios, compositores inusitados: Barroso, Resta, Scalassara, Henning, Laurindo, Villela, Ziliotto, Fiuza, João Alves.

Boa acústica, saudosismo arquitetônico, fácil localização, silêncio e cerveja gelada! Equação perfeita aos párocos de nossa arquidiocese. Procurávamos há tempos imemoriais. Agora encontramos. Viva a roda do Da Luz!

1° de março de 2024 - aniversário da roda de Choro do Da Luz Café (rua Montevidéu, 108). Às 20h. Gratuito.

Osório Perez/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.