Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Setor registra queda pelo segundo ano consecutivo. Mercado doméstico retraído explica desempenho negativo, segundo Abimaq

Apesar do faturamento recorde com as exportações, a indústria de máquinas e equipamentos viu sua receita cair 11% em 2023. As vendas do setor totalizaram quase R$ 296 bilhões no ano passado, contra cerca de R$ 310 bilhões em 2022.   A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) divulgou os dados em entrevista coletiva, na quarta-feira (31).  

Trata-se do segundo ano consecutivo de queda na receita total da indústria de máquinas e equipamentos. O último ano de crescimento foi 2021. Cristina Zanella, diretora de competitividade, economia e estatística da Abimaq, explica que o resultado negativo do setor em 2023 se deve, sobretudo, à retração do mercado interno, cuja receita diminuiu 15,4%. 

"Os dados de 2023 vieram na direção que vínhamos comentando: uma queda importante  — a segunda consecutiva da indústria de máquinas e equipamentos. O desempenho veio pior do que a expectativa. A gente falava em uma queda de 9,8%. A gente fechou com 11% de queda. O mercado doméstico foi o causador desse desempenho", afirma. 

Zanella diz que alguns fatores contribuíram para a timidez do mercado nacional. Segundo ela, o patamar da taxa básica de juros intimidou novos investimentos, fator que se somou à menor demanda de máquinas e equipamentos por outros setores da indústria de transformação — como o têxtil e o metalúrgico, movimento que também se observou no setor agrícola. 

Exportações surpreendem

As vendas de máquinas e equipamentos para outros países cresceram 14,6% no ano passado, totalizando mais de 13,9 bilhões de dólares, segundo a Abimaq. O desempenho das exportações superou o observado em 2012. É agora o melhor resultado da série histórica. 

Segundo Zanella, o dado foi surpreendente. "As exportações surpreenderam. Vieram de forma bastante positiva. É a grande notícia do setor. A gente conseguiu exportar bastante mesmo em um cenário internacional de relativa desaceleração."

As importações do setor, por sua vez, cresceram 7,6%, na comparação com o ano de 2022, totalizando 26,7 bilhões. Com isso, houve saldo negativo entre exportações e importações de máquinas e equipamentos da ordem de 12,8 bilhões de dólares. 

Empregos e investimentos caem

A queda da receita total foi acompanhada de perda de postos de trabalho na indústria de máquinas e equipamentos. O quadro de pessoal do setor encerrou o ano com 395 mil funcionários, cerca de cinco mil a menos do que o observado em dezembro de 2022. 

Já os investimentos realizados pelas empresas do setor ficaram abaixo das expectativas. Dos R$ 12,1 bilhões projetados para o ano passado, cerca de R$ 11 bilhões se concretizaram—  o equivalente a 90,6%. 

Projeção para 2024

Segundo a Abimaq, a receita total em 2024 deve crescer 3,5%. Já os investimentos previstos, de R$ 10,5 bilhões, ficarão abaixo do montante que as empresas do setor aportaram no ano passado. 

Quanto aos empregos, espera-se que, apesar dos potenciais efeitos negativos da medida provisória que reonera a folha de pagamento do setor, o desempenho favorável das empresas leve a um saldo positivo. 

Felipe Moura/Brasil 61

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.