Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Localizado no prolongamento da Avenida Saul Ekind, o empreendimento conta com uma área total de 395 mil metros quadrados e, quando pronto, vai funcionar como um condomínio industrial com 90 lotes. A expectativa é de gerar ao menos 10 mil empregos.

Londrina vai ganhar uma Cidade Industrial, orçada em R$ 36,7 milhões, valor disponibilizado ao município pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria das Cidades, via Sistema de Financiamento de Ações nos Municípios (SFM). Localizado no prolongamento da Avenida Saul Ekind, o empreendimento conta com uma área total de 395 mil metros quadrados e, quando pronto, vai funcionar como um condomínio industrial com 90 lotes.

O projeto começou a ser executado em abril deste ano e prevê serviços preliminares, terraplenagem, drenagem, pavimentação com Concreto Betuminoso Usinado à Quente (CBUQ), serviços de urbanização, redes de água e esgoto, iluminação pública, muros e guarita de controle de acesso. As obras estão 9% executadas e a previsão de conclusão é para o segundo semestre de 2024.

A obra da Cidade Industrial chegou a ser iniciada em 2021, após o anúncio da liberação de recursos do Estado, mas a empresa que à época era responsável abandonou o empreendimento, o que levou a prefeitura a uma nova licitação, que atraiu duas interessadas. O orçamento máximo era de R$ 41,9 milhões. O Governo do Estado é responsável pela fiscalização da obra.

Para o secretário das Cidades, Eduardo Pimentel, este é um exemplo do trabalho em conjunto entre Estado e o segundo maior município, com mais de 555 mil habitantes. “Londrina cresceu muito nos últimos anos, é o quarto maior da região Sul, e demanda por essa obra já tem algum tempo. Vamos trabalhar para entregá-la com celeridade e qualidade, gerando emprego e renda para os londrinenses e industrializando cada vez mais a região Norte”, afirmou.

Atualmente, segundo a prefeitura, 200 empresas aguardam em uma lista de espera o término da obra e a publicação dos editais de venda de terrenos. Elas poderão participar do processo licitatório com a finalidade de comprar um dos lotes. A expectativa é que ao menos 10 mil empregos sejam gerados com o empreendimento. Alguns dos atrativos são a proximidade com postos de combustíveis, faixas verdes aos fundos e no miolo do terreno, e o formato em loteamento fechado para garantir e inspirar segurança e economicidade, num sistema de gestão compartilhada.

“Este mês recebemos técnicos da Invest Paraná e eles ficaram impressionados com a quantidade de áreas que Londrina tem para receber investimentos. A Cidade Industrial vai ser um instrumento para alavancar o desenvolvimento de Londrina, que vai de imediato apoiar os empresários locais e atrair investimentos de todo o País. Vamos trabalhar para que seja uma referência nacional”, diz o prefeito Marcelo Belinati.

AEN

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.