Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A atividade é uma parceria entre o CCI Oeste, Secretaria Municipal do Ambiente (Sema) e o Viveiro Municipal de Londrina

Para promover um momento de interação, conscientização ambiental e encerramento de atividades, o Centro de Convivência da Pessoa Idosa “Benedito Camargo Sobrinho” (CCI) da região oeste realiza, nesta terça-feira (19), a partir das 9h, uma ação ambiental com idosos que frequentam o espaço.

A ação, executada em parceria com a Secretaria Municipal do Ambiente (Sema) e o Viveiro Municipal de Londrina, também parte da Sema, finaliza as ações das com uma iniciativa ambiental que envolve o plantio de seis mudas ipês e um momento de socialização a partir do café da manhã compartilhado entre os participantes. O ponto de encontro será na sede do CCI oeste (rua Serra Pedra Selada, 111), e as atividades irão ocorrer em uma área de praça próxima a este local.

As Oficinas de Vivências Eco Arte Terapia, executadas desde 2023 pelo professor Valdir de Oliveira e a psicóloga da Assessoria de Educação Ambiental, Renata Graner, ambos da Sema, objetivaram promover experiências de autocuidado e de cuidado com a Terra,  a fim de provocar reflexões para o entendimento de que cuidar da natureza também é cuidar de si mesmo, além de encorajar a responsabilidade e solidariedade com todas as formas de vida.

“Desde o ano passado, iniciamos em caráter experimental Vivências de Eco Arte Terapia com diferentes grupos. No ano passado fizemos um encontro com cada grupo, (Unidade Básica de Saúde Piza/Roseira, Legião da Boa Vontade (LBV) e CCI oeste) e, como a experiência foi positiva e houve a demanda por mais encontros, este ano estamos experimentando um novo formato com quatro vivências com cada grupo. E para respaldar nosso trabalho, estamos fazendo capacitação em Ecopsicologia”, contou Oliveira.

O professor ainda contou que, nesse semestre, foram realizados quatro encontros focados em um elemento da natureza, sendo eles a água, terra, fogo e ar. Durante as ações, além de uma vivência artística utilizando o elemento, o tempo foi utilizado para dialogar sobre alguns impactos ao ambiente, como poluição do ar, da água, da terra e do solo.

“Estes encontros contam também com a meditação inspirada no elemento natural e com a mediação de uma leitura (livro de literatura, poesia, ou letra de canção). É uma forma diferente de levar os participantes a refletir sobre a necessidade de uma reintegração ativa ao ambiente, à natureza, saindo de um viés estritamente cartesiano para incluir saberes populares, arte, sentimentos de bem estar”, finalizou.

Segundo a coordenadora do CCI Oeste, Rosely Sonoda, por conta da execução das oficinas para pessoas acima de 60 anos, foi possível observar reflexos positivos para com os participantes. “Maior sensibilização quanto ao tema, afeto e o cuidado para consigo e com o planeta”, citou.

Luiza Arlindo/NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.