Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

No total, serão 37 turmas de formação profissionalizante; o município investe mais de R$ 600 mil anualmente em parceria com a instituição

A organização da sociedade civil (OSC) Clube das Mães Unidas abriu a primeira etapa de inscrições para os cursos profissionalizantes de 2024. Para o mês de fevereiro, serão ofertadas 513 vagas em 37 turmas. Ao todo, serão 31 cursos profissionalizantes gratuitos diferentes, ministrados na sede da instituição (rua Roseiral, 77, no Jardim Interlagos).

Os cursos são ofertados via Termo de Colaboração firmado entre a OSC e a Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, sendo que o valor do investimento, distribuído durante o ano todo, é de R$ 632.880,00.

As inscrições estão abertas até o dia 22 de janeiro através do site oficial do Clube das Mães Unidas (clique aqui), onde pode ser encontrado o formulário de inscrição. Também será possível realizar a inscrição de forma presencial, na sede da organização, nos dias 22 e 23 de janeiro. Os candidatos que preferirem comparecer presencialmente precisam observar o dia e os horários de inscrição de cada curso, também especificado na página de inscrição.

As vagas disponíveis no momento são para os cursos ofertados no mês de fevereiro, bem como para alguns cursos mais longos, que podem chegar a durar o ano todo. Porém, todos os meses a OSC abre novas inscrições para preencher as vagas dos cursos mensais. Dessa forma, na primeira quinzena de fevereiro, novas inscrições estarão abertas para as vagas disponíveis no mês de março, e assim acontece, sucessivamente, em todos os meses do ano. Ao todo, serão aproximadamente 3 mil vagas ofertadas ao longo do ano de 2024, em cerca de 220 turmas.

Os pré-requisitos exigidos para participar dos cursos do Clube das Mães Unidas são ser residente em Londrina e estar inscrito no Cadastro Único. A idade mínima para ingressar nos cursos pode variar de 16 a 18 anos de idade, dependendo do curso escolhido. Alguns cursos específicos exigem conhecimento prévio no ramo de atividade contemplado. Após o período de inscrições, todos os candidatos vão passar por entrevista a ser agendada, para a seleção dos alunos.

Os cursos ofertados pela organização são os seguintes: atendimento ao cliente; cuidador de idosos; boas práticas de manipulação de alimentos; mesa posta; bolo caseirinho; confeitaria básica; decoração de bolos; ovos de Páscoa; preparo de pizza; salgadinhos para festas; salgados; torta e empadão gourmet; informática – do básico ao avançado; informática básica (com uma turma descentralizada); alongamento de cílios; alongamento de unha em fibra de vidro; alongamento de unha no molde f1; aperfeiçoamento de corte de cabelo feminino; barbearia; cabeleireiro; depilação; designer de sobrancelha; depilação egípcia facial; limpeza de pele; manicure e pedicure; maquiagem; tranças africanas; plásticas dos pés; costura básica; costura sustentável – upcycling e reforma de roupas.

A abertura das inscrições dos cursos profissionalizantes do Clube das Mães Unidas foi anunciada em solenidade realizada na sede da organização, na manhã de hoje (18). Na oportunidade, o vice-prefeito de Londrina, João Mendonça, mencionou a contribuição do projeto para a sociedade. “As pessoas saem daqui preparadas para exercer uma profissão, tanto para atuar como funcionários contratados por uma empresa, quanto para empreender e montar seu próprio negócio. A sociedade só ganha com isso. A partir do momento que a pessoa passa por essa escola, ela sai daqui com vontade de crescer e se desenvolver cada vez mais. Esse é um projeto que pode mudar muitas vidas”, disse.

De acordo com a secretária municipal de Assistência Social, Jaqueline Marçal Micali, o trabalho desenvolvido pelo Clube das Mães Unidas contribui para uma etapa muito importante dentro do sistema da assistência social, que é a criação da autonomia e cidadania do indivíduo. “O trabalho realizado por essa instituição é fundamental. Isso aqui não está no imaginário das pessoas, porque elas acham que o trabalho da assistência social está apenas no assistencialismo. Mas, na verdade, nosso maior trabalho é criar a autonomia e a cidadania das 29 mil famílias que recebem o Bolsa Família em Londrina. Então as pessoas chegam até nós com uma demanda, e um trabalho como esse, que desenvolve a autonomia financeira, é uma forma dela sair dessa demanda de receber a ajuda do governo. Aqui, as pessoas desenvolvem sua própria autonomia”, explicou.

A presidente do Clube das Mães Unidas, Rosa Malene Zanuto Ribeiro e Silva, que já é voluntária há dez anos, enfatiza o fator emocional do trabalho realizado no local. “O impacto é bem grande na sociedade. Nós temos histórias fantásticas de pessoas que conseguiram gerar renda, e de pessoas que tiveram um impacto positivo no seu emocional. Muita gente chega aqui com depressão e autoestima abalada, e sai mais confiante, acreditando que é possível lutar, e vai para a luta. É um trabalho que vai além da geração de renda”, mencionou.

Daniele Cristina de Andrade, profissional de beleza, conta que chegou até a instituição em um momento difícil de pós pandemia, em que havia perdido pessoas importantes da família e estava em situação de vulnerabilidade social e emocional. Atualmente, ela coleciona diplomas emitidos pelo Clube das Mães Unidas e é dona do próprio negócio. “Hoje, eu consigo atuar em seis áreas da beleza, na depilação, massagem relaxante, designer de sobrancelha, maquiagem, unhas de fibra e manicure e pedicure. Cinco destas áreas eu conquistei através de cursos do clube, e apenas o curso de maquiagem eu fiz no Senac, mas eu também fui direcionada para o curso através aqui da instituição. Hoje, essa é minha fonte de renda, e considero que minha área de atuação é a da beleza. Já tenho minha carteira de clientes montada e atendo no meu espaço próprio”, contou.

Segundo ela, os cursos foram um meio de mudar não só de profissão, mas também de melhorar a sua vida pessoal. “Eu fui acolhida em um momento em que eu pensei que não teria futuro. Às vezes, a gente passa por uma situação tão difícil e se sente muito sozinha, mas aqui eu entendi que eu não estava sozinha e que eu era capaz de chegar onde eu estou hoje. Eu estou muito feliz e realizada”, acrescentou Daniele Cristina.

O vereador e líder do Executivo na Câmara de Vereadores de Londrina, Eduardo Tominaga, também esteve presente à solenidade realizada ontem (18).

NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.