Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Empresários puderam entender como financiar o desenvolvimento de novos produtos e serviços, de maneira rápida e simples, e conhecer casos de sucesso da região

Representantes de cerca de 60 empresas de Londrina e região participaram, na segunda-feira (20), de uma apresentação sobre a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e receberam informações sobre como captar recursos para a inovação com aplicação industrial ou em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), com o apoio da rede de 96 institutos de pesquisa e tecnologia credenciados pela empresa em todo o Brasil. O Embrapii Day foi realizado na sede da Regional Norte do Sebrae/PR, em Londrina.

A Embrapii apoia instituições de pesquisa tecnológica fomentando a inovação na indústria brasileira. As unidades credenciadas em todo o País desenvolvem projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) em parceria com empresas brasileiras. Nesse sistema, as empresas dividem os custos com a Embrapii e com os institutos.

O gerente da Embrapii, José Menezes, diz ser difícil pensar em um desafio tecnológico que uma empresa, startup ou uma indústria possua e que a rede da Embrapii, por meio dos Centros de Pesquisa de Excelência, não seja capaz de atender.

“Você pode pensar em laser, grafeno, ligas especiais, bioprocessos, nanotecnologia, borracha, enfim, seja qual for o desafio tecnológico é quase certo que há uma unidade da Embrapii com aquela competência para ajudar o empreendedor na sua jornada de inovação”, afirma.

O principal, segundo ele, é que a empresa tenha um desafio tecnológico robusto, que demande um projeto de pesquisa, já que mestres, doutores e pesquisadores irão se debruçar no desenvolvimento da solução para fazer com que o novo produto ou serviço chegue ao mercado. Menezes garante que o processo é desburocratizado, basta acessar o site da Embrapii e clicar na aba “competências tecnológicas” para encontrar a unidade capaz de atender ao desafio e pegar o contato do representante do centro de pesquisa.

“Não tem edital e nem burocracia. O centro vai marcar uma conversa, fazer uma série de perguntas e, se a demanda estiver alinhada com as competências tecnológicas daquela unidade Embrapii, eles mesmos vão estruturar um projeto e informar os custos e o prazo para o desenvolvimento”, explica Menezes.

Ele lembra que parte dos custos será subsidiada pela Embrapii, outra parte pelo centro de pesquisa e o restante pela empresa. A parceria entre Sebrae e Embrapii amplia o limite de recursos não reembolsáveis para o desenvolvimento de projetos de inovação pelas micro e pequenas empresas, por meio do aporte de recursos do Programa Sebraetec, que pode diminuir os custos finais em até 70%.

O gerente da Regional Norte do Sebrae/PR, Fabrício Bianchi, diz que o evento, além de trazer informações sobre a captação de recursos, apresentou casos práticos de empresas de Londrina que conseguiram financiar seus projetos de inovação de maneira rápida e simplificada. Para ele, a parceria é uma oportunidade interessante para fortalecer o ecossistema de inovação da cidade.

“Existem diversas instituições, no Brasil inteiro, para o empresário de Londrina e região acessar e obter apoio para resolver um problema, desenvolver um produto ou serviço. Eventos como esse são fundamentais para facilitar a vida do empresário e fomentar a inovação”, aponta Bianchi.

Empresas de Londrina contaram aos participantes como financiaram projetos de inovação em parceria com a Embrapii. Foto: Thomé Lopes.

Um dos casos apresentados no evento foi o da startup Termoplex, especializada no monitoramento e controle para silos de grãos. O diretor de Tecnologia, Vinicius Ortiz, diz que, desde o início do negócio, em 2014, havia uma necessidade de validação científica dos processos de controle oferecidos pela empresa. O contato com a Embrapii se deu no ano passado e, desde então, a unidade InovaAgro – Tecnologias para a Agricultura -, da Universidade Federal de Pelotas (UFPL), no Rio Grande do Sul, tem atuado no projeto de inovação.

“Eles estão desenvolvendo um algoritmo para ser usado nos nossos processos de controle. O objetivo é evitar perdas de grãos, otimizar o tempo de armazenagem, evitar o consumo excessivo de energia”, detalha Ortiz.

O custo total do projeto foi R$ 200 mil, mas graças à parceria entre Embrapii e Sebrae, a contrapartida da empresa foi de 20%. O diretor da startup confessa que, se não fossem os recursos subsidiados, não seria possível viabilizar o projeto nesse momento.

O presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Alex Canziani, diz que, muitas vezes, o que falta para o empresário local inovar é informação e a ideia é mostrar que a Embrapii pode atender aos projetos de empresas de todos os portes e de diversos segmentos de atuação.

“A grande vantagem é você trazer altíssima tecnologia para a sua empresa com um custo muito menor do que se fosse contratado. Existe muito potencial para alavancar a inovação, criar novos produtos e tecnologias e, com certeza, transformar cada vez mais a nossa região com empresas inovadoras”, destaca.

O Embrapii Day foi uma realização do Sebrae/PR, Codel, Embrapii, Secretaria da Inovação, Modernização e Transformação Digital do Paraná e Estação 43.

Asimp/Sebrae Paraná

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.