Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A I Bravissimi - Associação de Cultura Italiana de Londrina – comemora os 150 anos da imigração italiana no Brasil com uma palestra na quarta-feira, dia 21 de fevereiro, com a historiadora Taiane Silva. A data comemorativa celebra oficialmente a chegada ao Brasil do navio “La Sofia”, em 1874, com quase 400 italianos.

Taiane Silva falará, em um bate-papo com o público, um pouco da história desta imigração, a influência dos italianos na cultura brasileira, no Paraná e no Norte do Estado.

A palestra será no Crystal Palace Hotel (Rua Quintino Bocaiúva, 15- centro de Londrina), com início às 20h e aberta ao público.  Para participar é necessário se inscrever pelo site da associação: www.ibravissimilondrina.org e as vagas são limitadas.

A I Bravissimi, realizadora do evento, completa oficialmente 27 anos em 2024, não tem fins lucrativos e o objetivo é divulgar a cultura, a língua italiana e seu entrelaçamento com a cultura brasileira. Outras informações pelo whats: (43) 9.9957.7031.

Os Italianos no Brasil e no Paraná

O Brasil recebeu entre 1870 e 1970 cerca de 1 milhão e meio de italianos. A imigração da Itália para o Brasil começou a cair por volta de 1902, quando o governo italiano deixou de subsidiar a vinda de imigrantes para o Brasil.

A imigração no Paraná iniciou por volta de 1870, como em todo o Brasil. Além dos imigrantes vindos direto da Itália para o sul do Estado, Curitiba e oeste do Paraná têm também a influência de colonos italianos gaúchos e catarinenses.

Já a imigração no Norte do Paraná é essencialmente paulista e mineira. Os italianos que chegaram às fazendas de café nestes dois estados para trabalharem como colonos, depois vieram para o Norte do Paraná (década de 1930).

De acordo com Yamaki (2006), no que se refere a imigrantes e descendentes, na década de 1930, os italianos constituíam o maior número em Londrina, sendo 600 indivíduos.

Em relação ao número de lotes vendidos em 1935, segundo o relatório da Companhia de Terras Norte do Paraná, as principais nacionalidades que adquiriram terras foram os brasileiros (1.266 lotes), alemães (479 lotes) e italianos (476 lotes).

A presença italiana em Londrina também mostra a importância das colônias e do trabalho dos agricultores na produção agrícola da cidade. Muitos italianos e descendentes já dominavam práticas de produção agrícola por conta de suas experiências na Itália e principalmente no Estado de São Paulo.

Registros mostram que 40% da população paranaense têm descendência italiana.

Andrea Monclar/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.