Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Município assume o compromisso de fortalecer as políticas públicas e planos de segurança alimentar e nutricional

O Município de Londrina aderiu ao Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan), criado por meio da Lei Federal nº 11.346/2006, a fim de assegurar o direito humano à alimentação adequada. A assinatura do termo de adesão aconteceu ontem (19), no gabinete do prefeito Marcelo Belinati, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (SMAA). O ato representa um compromisso sólido e estruturado para promover a segurança alimentar e nutricional em Londrina.

O Sisan tem por principais objetivos formular e implementar políticas e planos de segurança alimentar e nutricional; estimular a integração dos esforços entre governo e sociedade civil; e promover o acompanhamento, o monitoramento e a avaliação da segurança alimentar e nutricional no país.

Aderindo ao Sisan, o município poderá ser beneficiado com o recebimento de recursos financeiros para o desenvolvimento de programas e projetos relacionadas à segurança alimentar e nutricional. Além disso, terá a possibilidade de obter pontuação diferenciada em editais lançados em nível federal, bem como nos editais de fluxo contínuo do Governo do Estado. Como exemplo, pode-se citar o Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar e Compra Direta Paraná, o Banco de Alimentos, as Cozinhas e Hortas Comunitárias, e equipamentos de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN).

O vice-prefeito de Londrina, João Mendonça, ressaltou que todas as pessoas têm direito de receber alimentos de qualidade, de forma regular e permanente, e que a adesão ao Sisan vai contribuir para a implementação de políticas públicas na área e acesso a recursos. “Esta administração é preocupada com as pessoas, e o acesso à alimentação adequada é fundamental para o ser humano. Lembrando que Londrina tem um projeto muito interessante, que são as Hortas Escolares, as quais sensibilizam as crianças e toda a comunidade escolar para as questões de sustentabilidade, o espírito de solidariedade humana e o trabalho em conjunto”, disse.

O secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, Regis Choucino, enfatizou que o direito humano à alimentação adequada é um dos pilares fundamentais para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária. “Infelizmente, a fome e a insegurança alimentar ainda são realidades enfrentadas por muitas pessoas em nosso país, e é nossa responsabilidade combater essa injustiça de forma incansável”, disse.

Segundo ele, ao aderir a este sistema, o município assume o compromisso de fortalecer políticas públicas que garantam o acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, respeitando a diversidade cultural e promovendo hábitos alimentares saudáveis. “A implementação do Sisan em nossa cidade não é apenas um ato administrativo, mas sim um pacto em prol do bem-estar de todos os cidadãos. Esta adesão é um passo significativo para assegurar que nenhum indivíduo seja privado do direito básico de se alimentar de forma digna e saudável”, afirmou.

A presidente do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de Londrina (Consea), Kelly Franco de Lima, ressaltou que a assinatura do termo de adesão ao Sisan representa um marco histórico para Londrina. “Estou emocionada com este dia, pois aderir a este sistema é fundamental para amenizar a fome e a insegurança alimentar e nutricional dos nossos municípios. A partir de agora, teremos um ano para concretizar e efetuar o Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. Nós queremos fazer com que Londrina seja referência no estado, para que a população tenha acesso, por exemplo, aos restaurantes populares, às hortas comunitárias, assim como aos pontos de Eco Troca, para fazer a troca do material reciclável por alimentos”, destacou.

Entre os presentes à solenidade, também estiveram o secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada; os vereadores Eduardo Tominaga, líder do prefeito na Câmara, Ailton Nantes e Lu Oliveira; o chefe regional da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado do Paraná (Seab), Antônio Carlos Barreto; a diretora de Abastecimento da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, Amanda Cristina Andrello Costa; o gerente regional do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR), Renan Ribeiro Barzan.

Mais sobre o Sisan – O sistema promove a formulação e articulação de políticas de segurança alimentar e nutricional em âmbito nacional, estadual e municipal, bem como o monitoramento e a avaliação das mudanças relacionadas à situação alimentar e nutricional da população brasileira. Os órgãos governamentais dos três níveis de governo (federal, estadual e municipal) e as organizações da sociedade civil devem atuar conjuntamente na formulação e implementação de programas e ações que constituem a política nacional de segurança alimentar e nutricional.

O Sistema é composto por: Conferências de Segurança Alimentar e Nutricional, em âmbito nacional, estadual e municipal; Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional – Consea em nível federal, estadual e municipal; Câmara Interministerial (âmbito nacional) e Câmaras Intersetoriais (nos estados e municípios); órgãos e entidades de Segurança Alimentar e Nutricional da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios; e instituições privadas, com ou sem fins lucrativos, que manifestem interesse na adesão e que respeitem os critérios, princípios e diretrizes do Sisan.

NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.