Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Agenda terá eventos até o final do mês, possibilitando acesso gratuito a vários cursos, oficinas e projetos; ações fortalecem o crescimento das políticas voltadas às mulheres em Londrina

A Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM) realizou, ontem, 1º de março, o evento de lançamento da programação do Mês da Mulher. Em 2024, a agenda reúne 56 atividades em vários formatos, ofertando até o final do mês, gratuitamente, oficinas, cursos de capacitação, rodas de conversa, palestras, exposições, feiras, workshops e lançamentos de projetos. O encontro de abertura ocorreu no auditório da Prefeitura de Londrina e reuniu representantes de vários segmentos da sociedade civil, entidades parceiras da SMPM em seu vasto rol de políticas e programas públicos, autoridades locais, servidores e conselheiros.

Todas as ações programadas para março aludem à data de 8 de março, Dia Internacional da Mulher, salientando e valorizando as lutas e conquistas das mulheres em todas as partes do mundo. Os eventos são promovidos em várias mãos, mostrando a força da SMPM e da rede colaborativa que integra os trabalhos em prol das mulheres londrinenses. Em relação à edição 2023, a SMPM conseguiu ampliar as áreas de atuação, bem como traz mais projetos e cursos de formação para o trabalho.

O cronograma inicial divulgado está sujeito a alterações, podendo ser ampliado com mais atividades. Para conhecer todo o quadro, basta acessar o link https://portal.londrina.pr.gov.br/eventos-sec-mulher .

Abrindo o encontro de lançamento, houve uma apresentação musical pelo coletivo Black Divas, cantando canções em homenagem às mulheres e dando as boas-vindas ao público.

A secretária municipal de Políticas para as Mulheres, Liange Doy Fernandes, fez questão de enfatizar a força feminina nos mais diversos campos de atuação na sociedade, ressaltando os resultados positivos obtidos por meio das políticas integradas nesse segmento. “Tudo o que fazemos, no dia a dia dos serviços ofertados, converge para um objetivo maior que agrega a defesa dos direitos das mulheres, a proteção e enfrentamento às inúmeras formas de violências que infelizmente persistem, buscando o rompimento dos ciclos, a equidade de gênero, o estímulo à independência e autoestima, a saúde mental e física, o aprendizado, oportunidades de renda, entre outras causas importantíssimas, relevantes e que devem ganhar visibilidade e atenção tanto do poder público como de todas as pessoas”, destacou.

Quanto à esfera formativa, um dos pilares do Mês da Mulher, Fernandes disse que os cursos ofertados podem ajudar a transformar a vida das participantes. “As ações trazem uma gama de assuntos, temos muitas pessoas que fizeram oficinas e cursos no Centro de Oficinas da Mulher e depois conseguiram emprego, montaram seu negócio ou aprimoraram suas habilidades. A programação de 2024 do Mês da Mulher está recheada de ótimas oportunidades e contamos com a divulgação de todos”, afirmou.

A titular da pasta ainda trouxe notícias sobre novidades para a estrutura de atendimento da SMPM às mulheres. Ainda em março, será lançada a Sala de Amamentação, espaço implantado no Centro de Oficinas para Mulheres (COM) que ficará à disposição para atender quem participa dos cursos de capacitação e qualificação profissional no local. Outro lançamento, para o mesmo local, será a área de brinquedoteca, que já está pronta, a fim de garantir um ambiente divertido e agradável às crianças que acompanham suas mães nas atividades.

Segundo a vereadora e presidente da Comissão de Defesa dos Direitos das Mulheres da Câmara Municipal, Daniele Ziober, a ocupação das mulheres em cargos públicos e outros é de extrema importância para o aprimoramento dos atendimentos às causas gerais da sociedade. “Quando eu era a única representante mulher no Legislativo era muito diferente de agora, que estou acompanhada de outras cinco mulheres vereadoras, de alta competência e grande capacidade no exercício da função. Isso é muito positivo e traz ganhos para as lutas voltadas aos direitos das mulheres, que possuem maior sensibilidade no trato das questões. Desejo que, cada vez mais a Câmara seja ocupada por nós”, declarou.

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, parabenizou as equipes responsáveis pelas políticas direcionadas às mulheres na Administração Municipal, bem como toda a sociedade civil pela luta constante e também pela programação rica do Mês da Mulher. “Essas iniciativas, tanto na área política como nas ações demais, dão voz àquelas mulheres que não podem ou não conseguem falar o que sentem e o que passam. Por isso, nós incentivamos os projetos voltados para essa área. Em nossa gestão triplicamos o orçamento para a Secretaria da Mulher, reformamos a casa de abrigo para mulheres vítimas de violência, revitalizamos totalmente e quase dobramos a Maternidade Municipal, trazendo mais conforto, segurança, comodidade e o que há de melhor para as mães e suas crianças”, citou.

A deputada estadual Cloara Pinheiro afirmou ser uma honra poder participar do lançamento como representante da cidade no Paraná, iniciando sua trajetória na vida política. “Entrei como deputada com 59 anos, tive décadas de trabalho entre assistente social e comunicadora de televisão e agora estou aqui, podendo lutar pela nossa gente e pelas mulheres. Estou muito feliz pelo que estamos conquistando juntas e por poder dar minha parcela de contribuição. Aproveito para anunciar, junto ao prefeito Marcelo, que está pronto o projeto para implantarmos a Casa Brasileira da Mulher em Londrina, com recursos em torno de R$ 6 milhões, em apoio às vítimas de violência, principalmente doméstica”, adiantou.

O vice-prefeito João Mendonça, também presente no evento, enalteceu a participação popular de pessoas voluntárias na rotina diária dos atendimentos prestados pela Prefeitura. “Além das nossas mulheres que fazem a gestão e atuam nesses serviços com muita dedicação, seriedade e empenho, há muita gente de coração enorme que colabora voluntariamente para ajudar as mulheres que sofrem violência, que precisam de suporte em várias áreas. Londrina tem uma rede muito forte nesse segmento e temos orgulho em poder trabalhar juntamente com essas pessoas”, apontou.

Também participaram do lançamento do Mês da Mulher as vereadoras Flávia Cabral e Sônia Gimenez, e a chefe o Escritório Regional da Secretaria de Estado da Família, Justiça e Trabalho do Paraná, Deise Tokano que representou no evento a Secretaria da Mulher, Igualdade Racial e Pessoa Idosa. Também esteve presente Elza que foi vereadora e deputada estadual, a primeira coordenadora da Mulher em Londrina, no que depois se tornou a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres. Ainda estiveram presentes secretários municipais e representantes de vários órgãos, instituições e entidades.

Programação

Com vasta agenda, o Mês da Mulher 2024 traz ações em diversas áreas, com várias ocorrendo no Centro de Oficinas para Mulheres (COM) e na Sala da Mulher Empreendedora.

Há atividades nas áreas de Capacitação e Qualificação Profissional para estimular o emprego e a geração de renda, bem como de Empreendedorismo, para regularização e formalização do próprio negócio para mulheres. Isso inclui atendimentos para capacitação e consultoria especializada e individualizada.

Na área de Saúde e Bem-estar, destacam-se quatro projetos, conforme apontou a diretora de Empreendedorismo e Ações Educativas da SMPM, Lisnéia Rampazzo. Um deles é a parceria com a PUC, junto ao curso de psicologia, onde serão feitos atendimentos quinzenalmente no projeto chamado “Apoio Psicológico às Mulheres – ansiedade e culpa materna”, que se inicia agora em março. “Também há a parceria com a Anhanguera/Unopar para continuar projetos renovados, um de saúde física para atendimento fisioterápico, e o projeto “Acolher”, que é de atendimento psicológico para mulheres com ansiedade e depressão decorrentes da Covid-19”, citou a diretora.

Além destes dois, será ofertado o projeto de saúde e bem-estar, em parceria com a Anhanguera/Unopar, “Transformando Sorrisos”, que prestará atendimento odontológico gratuito para mulheres, na clínica do Campus Jardim Piza. “Serão atendidas mulheres que recebem suporte pelo Centro de Oficinas (COM) e pelo Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) para limpeza dentária, pequenas restaurações, obturações e outros procedimentos”, completou Lisnéia Rampazzo.

Dentro desse conjunto, ainda serão realizadas as oficinas educativas, com destaque para uma atividade onde grupos de mulheres serão levada ao Museu do Café em visitas guiadas, bem como uma exposição no auditório da SMPM intitulada “Consciência quem tem, mulheres negras – retratos realistas e acrílicos sobre telas”, que ficará exposto durante todo o mês de março.

NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.