Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Evento híbrido contou com a participação de representantes de cerca de 300 municípios paranaenses, que discutiram o futuro do saneamento no estado

Foi realizada em Londrina, ontem (30), a 7ª Assembleia Geral das Microrregiões de Água e Esgotamento Sanitário do Estado do Paraná. Conduzido no Anfiteatro Cyro Grossi, da Universidade Estadual de Londrina (UEL), o evento teve a participação do prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, e do secretário de Estado das Cidades, Eduardo Pimentel, entre diversas autoridades (confira abaixo). A ação foi coordenada pela Secretaria de Estado das Cidades.

No total, o encontro contou com a presença de mais de 100 representantes de municípios paranaenses, incluindo prefeitos e vice-prefeitos. Além disso, outros 200 integrantes de Executivos municipais participaram de forma on-line. Estiveram representadas as três Microrregiões de Água e Esgoto do Estado: Centro-Litoral, Centro-Leste e Oeste.

O objetivo da atividade foi discutir o futuro do saneamento no Paraná, e a Assembleia foi direcionada principalmente aos municípios cujos contratos com a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) estão vencidos e àqueles que não possuem contrato com a empresa.

Tendo como base o Marco Legal do Saneamento Básico (lei federal nº 14.026/2020), as discussões centraram-se no modo pelo qual as prefeituras paranaenses gerenciam seus sistemas de saneamento, sendo que algumas mantêm contratos com a Sanepar enquanto outras atuam diretamente na área ou terceirizam para outras empresas.

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, salientou que as discussões sobre saneamento básico são fundamentais, pois abordam temas relacionados à saúde, qualidade de vida e meio ambiente da população.

“O saneamento básico é dividido em quatro pilares: água, rede de esgoto, drenagem urbana e gestão de resíduos sólidos. É uma área abrangente e complexa, que envolve licitações e obras importantes, e que exigem bastante atenção dos prefeitos. Porém, o que os gestores públicos devem ter em mente é que os serviços de saneamento têm que gerar um retorno positivo para a população, o que acontece quando são feitos de forma adequada. Os contratos feitos com as prestadoras de serviços devem incluir contrapartidas para os municípios, contemplando ações como revitalizações de fundos de vale e desassoreamento de lagos. Aqui no Paraná, a Sanepar tem prestado um serviço de excelência, sendo que das 20 cidades com o melhor saneamento do Brasil, seis são paranaenses”, afirmou.

Conforme o secretário de Estado das Cidades, Eduardo Pimentel, essa é a primeira Assembleia Geral das Microrregiões de Água e Esgotamento Sanitário realizada de forma descentralizada, fora da capital Curitiba.

Pimentel frisou que o objetivo principal das microrregiões é atender as exigências do Marco Legal do Saneamento Básico.  A norma determina que até 31 de dezembro de 2033, os contratos de prestação dos serviços públicos de saneamento básico devem garantir o atendimento de 99% da população com água potável e de 90% da população com coleta e tratamento de esgoto.

“O Paraná quer ser pioneiro nessa ação, antecipando o cumprimento dessas metas para o fim desta década. As nossas grandes cidades já têm um tratamento de água e esgoto muito efetivo, e agora a nossa missão é investir também nos pequenos municípios. Então, tanto a Sanepar quanto as empresas particulares têm que se enquadrar nesses requisitos para que a gente possa atender o Marco Legal de Saneamento”, disse.

O superintendente-geral de Apoio aos Municípios do Governo do Paraná, Junior Weiller, destacou que o Executivo estadual pretende enfocar suas ações principalmente nos municípios de menor porte, que estão mais atrasados na questão do saneamento. “Parabenizo a todos os prefeitos que estão participando desse encontro, e que entenderam a importância dessa atividade, pois discutir saneamento significa falar sobre saúde pública”, realçou.

Autoridades presentes

Entre outras autoridades, participaram da assembleia o vice-prefeito de Londrina, João Mendonça; o chefe de gabinete da Prefeitura de Londrina, José Otávio Sancho Ereno; a reitora da Universidade Estadual de Londrina, Marta Fávaro; os deputados estaduais Tiago Amaral e Cobra Repórter; a secretária-geral das Microrregiões de Água e Esgotamento Sanitário do Paraná, Márcia Amorim; o presidente em exercício da Sanepar, Toco Zanetti; e o gerente-geral da Sanepar na Região Nordeste do Paraná, Gil Gameiro.

Também compareceram o secretário executivo do ConCidades, Orlando Bonetti, o diretor executivo do Consórcio Cispar, Valter Bossa, e o vice-presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e prefeito de Arapongas, Sérgio Onofre.

NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.