Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Ele está completando 30 anos de carreira militar e já atuava no 5º BPM, como subcomandante, ao lodo do tenente-coronel Marcos Antônio Tordoro, que assume a chefia da Casa Militar em Curitiba

O major Ricardo Eguedis foi nomeado ao cargo de comandante do 5º BPM, no lugar do tenente-coronel Marcos Antônio Tordoro, que passa a assumir a chefia da Casa Militar, em Curitiba. A cerimônia de troca de comando ocorreu ontem, segunda-feira (4), na sede do 5º BPM, cuja abrangência inclui Londrina, Ibiporã, Tamarana, Jataizinho, além dos distritos destes municípios. O prefeito Marcelo Belinati compareceu ao local para cumprimentar as autoridades presentes.

O prefeito desejou boa sorte ao major Eguedis e ao tenente-coronel Tordoro. “O tenente Tordoro fez um trabalho muito bacana em Londrina, próximo da comunidade, por meio do policiamento de proximidade, e deu muito certo. O major Eguedis tem 30 anos de carreira militar, conhece muito bem a cidade, e certamente fará um ótimo trabalho no comando do 5º BPM.  A PM trabalha em conjunto com a Guarda Municipal e a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) e assim vamos continuar, a fim de buscar sempre dar a segurança necessária aos cidadãos de Londrina”, ressaltou Marcelo.

Novo comandante do 5º BPM, o major Eguedis iniciou a carreira militar em 1994 e em 2024 completa 30 anos de carreira. Ao longo dos anos, Eguedis ocupou diversos cargos de liderança, incluindo a divisão de trânsito da PM e foi subcomandante da 4ª Companhia Independente da Polícia Militar. O major também é conhecido por sua atuação como porta-voz da PM, função que assumiu em 2021, e atuava como subcomandante do 5º BPM, ao lodo do tenente-coronel Tordoro.

Eguedis destacou que pretende manter o policiamento de proximidade, muito defendido por seu antecessor. “Não só pretendo manter o policiamento de proximidade, como desejo expandir o conceito para toda a nossa tropa. É muito importante o nosso policial conversar com a comunidade, tentar resolver problemas da comunidade, e também fazer a sua parte na segurança pública”, disse.

O major enfatizou que polícia militar é um órgão sério, competente e que quer, de forma honesta, fazer o trabalho junto à população. “Daremos sequência ao trabalho que já vem sendo realizado, todos os dias temos novos desafios, por isso o objetivo é trazer, também, outros atores públicos, como associações, entidades, para que possamos, de forma conjunta, encontrar os problemas da nossa cidade”, apontou.

Já o tenente-coronel Tordoro assumiu o 5º BPM em agosto de 2023 e, anteriormente, estava à frente do 30º BPM, na zona norte. Agora, passa a ser chefe da Casa Militar, setor que atua na segurança do governador e do vice-governador, do Palácio do Iguaçu e de autoridades que visitam o Estado, além de ter outras funções.

Tordoro contou que embora ficou um curto período de tempo no comando do 5º BPM, esteve em Londrina desde 2015, atuando na zona norte da cidade. “À frente do 5º batalhão realizei um trabalho pensando nas pessoas, pois o foco de todo servidor público tem que ser servir as pessoas. Nesse tempo, ouvimos aos cidadãos e entendemos as suas demandas para que, a partir daí, sabendo o que acontece nas ruas e bairros, pudéssemos realizar um trabalho efetivo e de qualidade para a população. Tivemos muitas devolutivas da comunidade e dos policiais militares, que nos trouxeram um retorno muito positivo e isso muito me alegra. Agora, sigo em frente em Curitiba, acreditando que o major Egudis e os times do 5º batalhão e do 30º BPM farão um trabalho tão bom quanto o que fizemos e até melhor”, afirmou.

O coronel Gustavo Batista Hauenstein, comandante do 2º Comando Regional de Polícia Militar (CRPM), explicou que a função do comando do 5º BPM compreende comandar toda a parte operacional da PM, na atividade de segurança pública no município de Londrina, além de buscar recursos junto ao regional. “O comando também coordena o tipo de policiamento que ele entende ser necessário para a cidade, avalia os pontos mais vulneráveis onde o policiamento deve ser aplicado, ou seja, faz a toda a gestão da segurança pública por parte da polícia militar”, frisou.

NCPML/com Sistema Nacional de Comunicação (SINACOM)

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.