Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com 31 anos de funcionamento, a instituição tem uma média de 250 partos realizados mensalmente

A Maternidade Municipal de Londrina amanheceu em festa com o nascimento da pequena Jade Antonella, que veio ao mundo na quarta-feira (27), às 22h55, como a criança de número 100 mil nascida na unidade. Pesando 3,5kg, e com 51 cm de altura, Jade já esbanja beleza pelos corredores da instituição, que foi inaugurada em 23 de dezembro de 1992, e acaba de completar 31 anos de funcionamento. O prédio, que foi reformado e ampliado na atual administração, fica na Rua Jacob Bartolomeu Minatti, 350, esquina com a Avenida Jorge Casoni, na região central de Londrina.

Thaila Pinho com a filha Jade. Foto: Vivian Honorato

Thaila Kelly Pinho, de 18 anos, mãe de Jade, recebeu a menina no apartamento de número 20, da ala de puerpério da maternidade, para amamentá-la pela primeira vez. Thaila fez todo seu pré-natal e acompanhamento da gravidez pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e deu entrada na maternidade na manhã da quarta-feira  (27). Após 13 horas em trabalho de parto, a equipe médica da Maternidade Municipal de Londrina acolheu a chegada do bebê, que representa um marco na história do serviço em Londrina.

“A sensação de receber minha primeira filha é inexplicável, quem imaginava que eu teria uma neném linda dessa? E também foi uma surpresa muito grande quando eu soube que ela é a bebê número 100 mil da maternidade. Eu gostei muito do atendimento que recebi aqui, todos foram sempre gentis comigo, me oferecendo tudo que foi necessário para que meu parto fosse bem sucedido”, contou a mãe de Jade.

Claudete Crude dos Santos, de 69 anos de idade, já conta 51 anos de serviços prestados na área da saúde. Claudete é técnica de enfermagem da Maternidade Municipal desde o primeiro dia de funcionamento da instituição. Como funcionária do berçário durante todos os 31 anos de trabalhos prestados na maternidade, ela recepcionou o primeiro bebê nascido na instituição, em 31 de dezembro de 1992, e, hoje, recebe também o bebê de número 100 mil.

“Eu tenho muito orgulho de trabalhar aqui, e, honestamente, eu já poderia estar aposentada a uma altura dessas. Mas eu quero trabalhar até meus 75 anos porque eu fiz parte dessa história e quero continuar fazendo parte dela. Eu e meus colegas de trabalho somos muito comprometidos com o trabalho humanizado, e isso faz com que você queira continuar na ativa, porque não é só sobre o trabalho, é sobre o ser humano. Eu tenho muito orgulho do que eu faço, de onde eu trabalho e das pessoas com quem trabalho”, relatou a técnica de enfermagem.

Ela completa falando do prazer que é receber os bebês recém-nascidos. “Eu amo trabalhar com os bebês aqui, porque eles recebem o que a gente tem para oferecer, e nós só temos amor para dar”. E ainda brinca, “Eu quero ficar aqui até eu não aguentar mais!”.

O prefeito Marcelo Belinati, acompanhado do secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, visitaram mãe e filha, hoje (28), pela manhã. Levaram presentes e um quadro com a foto da prestigiada Jade e todas as informações sobre o seu nascimento. Na ocasião, o prefeito comentou sobre o sentimento de chegar a marcas tão significativas nesse serviço. “É muita emoção. A maternidade foi inaugurada em 1992, e agora em 2023 nós a reformamos e ampliamos, quase dobramos ela de tamanho. Cada quarto recebe uma família sozinha, com banheiro, ar-condicionado, com televisão, e agora nós compramos frigobar para colocar nos quartos. Temos toda a estrutura e uma equipe competente, com equipamentos novos. É uma emoção muito grande receber a criança 100 mil. São 21 municípios do Paraná que não têm 100 mil habitantes, e só aqui nasceram 100 mil crianças”, explicou Belinati.

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, relembra os investimentos realizados para que a Maternidade Municipal pudesse oferecer serviços de maior qualidade e conforto para as mães londrinenses. “Esse é um momento de muita alegria para a equipe da maternidade, para a família e para nós da gestão. Porque agora nós podemos proporcionar tudo que há de melhor e mais moderno para as mães que ganham seus bebês na nossa maternidade”, disse.

O secretário também reconhece todos os esforços das equipes de saúde para entregar um atendimento humanizado e de qualidade. “Aproveito para fazer um agradecimento às equipes da maternidade, que sempre foram muito comprometidas e qualificadas para seu trabalho”, completa.

A Maternidade – A Maternidade Municipal de Londrina é a maior maternidade pública do interior do Paraná e a segunda maior do estado, além de ser referência na Rede de Assistência Materno-Infantil (Rede Cegonha) e no atendimento de risco habitual exclusivo para o SUS de Londrina. Também é reconhecida nacionalmente pelo atendimento humanizado na assistência ao parto e nascimento, com destaque ao aleitamento materno. Em 2018, recebeu o Diploma de Reconhecimento Público, oferecido pela Câmara Municipal de Londrina. Em 2006, o Ministério da Saúde concedeu o Prêmio Galba de Araújo, pelo respeito à dignidade da mulher e humanização do parto e, em 2000, a Organização Mundial da Saúde, por meio da UNICEF, e Ministério da Saúde entregaram o título de Hospital Amigo da Criança.

Aproximadamente 800 pacientes são recebidos mensalmente pela Maternidade Municipal, que é um serviço de porta aberta, e são realizados em média cerca de 250 partos no mesmo período. Hoje, a equipe da unidade é composta por 160 servidores que trabalham em regime de turnos. São três médicos obstetras, um anestesiologista, dois pediatras, além da equipe multiprofissional composta por enfermeiras, fonoaudiólogas, psicólogas e assistentes sociais. Estes profissionais passam por cursos de capacitação e qualificação constantes.

Toda a estrutura do prédio da Maternidade Municipal passou por reforma e ampliação, que foi entregue no ano de 2023. Ao todo, foram investidos quase R$ 10 milhões na realização da obra e na aquisição de equipamentos e mobiliário.

No total, são 20 apartamentos individuais na ala do puerpério (período de 45 a 60 dias após o parto), duas alas de enfermaria conjuntas com dois leitos, e mais 10 leitos individuais para as gestantes na ala de pré-parto. Todos os quartos são individuais e contam com banheiro individual, televisão, aparelho de ar-condicionado e poltrona reclinável para acompanhante. Foram mais de 1.000 metros quadrados de amplição e modernização para atender melhor as gestantes e puérperas de Londrina, que utilizam o SUS.

NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.