Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

No mesmo local, mulheres encontram diversos cursos de formação e atendimento personalizado para formalização e gestão do próprio negócio

Foi em novembro de 2023 que Maria Aparecida de Paulo, de 66 anos, formalizou o seu pequeno negócio na área da alimentação na Sala da Mulher Empreendedora de Londrina. Microempreendedora individual (MEI), ela produz e vende tortas salgadas, de sabores variados, sob encomenda e em feiras da cidade. Dois meses depois, sua cozinha pegou fogo e ficou parcialmente destruída. Fogão, exaustor, panelas, armários queimaram, assim como a fiação. Mas, graças ao CNPJ, ela conseguiu um bom desconto no conserto.

As vantagens da formalização vão além de obter condições especiais de pagamento com fornecedores, passam pelo acesso ao crédito mais barato, pela garantia de benefícios previdenciários, como os auxílios doença e maternidade, até a oportunidade de venda de produtos e serviços para grandes empresas, ou mesmo para o Poder Público, com emissão de nota fiscal. Tudo isso a um custo mínimo, que pode variar entre R$ 71,60 e R$ 75,60 por mês, para as atividades que se enquadram como microempreendedor individual (MEI).

Segundo dona Cida, como é conhecida, o pequeno negócio, hoje, ajuda a complementar a renda dela e do marido, ambos aposentados com um salário-mínimo. Mas, a empreendedora sonha em ir mais longe, por isso, está sempre em busca de conhecimento.

“Tenho a Sala da Mulher como referência. Quando tenho dúvida, as meninas estão sempre prontas para me atender. Sou muito perseverante. Apesar da idade, quero aprender mais, estou fazendo um curso de gastronomia. Gostaria de ter alguém para me ajudar na produção”, conta dona Cida.

De agosto de 2023, quando foi inaugurada, até fevereiro deste ano, a Sala da Mulher Empreendedora de Londrina, a primeira do Paraná e a quarta do Brasil, atendeu 460 mulheres, promoveu duas Feiras da Mulher Empreendedora, duas rodadas de negócios, 25 consultorias e uma mostra de produtos. O espaço é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres de Londrina e do Sebrae/PR e visa fomentar o empreendedorismo feminino e promover a autonomia financeira das mulheres.

Londrina tem 51.457 MEI formalizados, 46% são mulheres. A consultora do Sebrae/PR, Liciana Pedroso, diz que o serviço foi criado para atender as necessidades específicas dessas empreendedoras.

A Sala funciona no Centro de Oficinas para Mulheres da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, que fica na Rua Valparaíso, s/n°, no bairro Guanabara. No mesmo local, as mulheres encontram diversos cursos de formação e atendimento para se formalizar e se preparar para gerir o próprio negócio.

“Quando elas concluem as capacitações, conseguimos dar o direcionamento para o empreendedorismo, para que consigam se legalizar e crescer. Então, no mesmo lugar, elas encontram oportunidades de geração de renda e orientações para empreender”, afirma Liciana.

A secretária municipal de Políticas para as Mulheres, Liange Hiroe Doy Fernandes, afirma que a parceria com o Sebrae/PR na implantação da primeira Sala da Mulher Empreendedora do Paraná trouxe às mulheres um acolhimento maior para que elas possam obter capacitação, antes de iniciar o seu negócio, ou, ainda, aprimorar o que é necessário para o seu sucesso.

“Aqui, na Sala da Mulher Empreendedora, há um acolhimento da equipe da nossa Secretaria, visando não apenas a saúde do negócio em si, mas, principalmente, da mulher que é atendida e orientada. Sabemos da importância de um atendimento humanizado e que encoraje as mulheres a empreender de acordo com as suas potencialidades”, explica Liange.

Asimp/Sebrae/PR

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.