Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Convidados pela vereadora Mara Boca Aberta, participantes chamaram atenção para a necessidade de um financiamento tripartite, com recursos da União, do estado e do município

A convite da vereadora Mara Boca Aberta (sem partido), representantes da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) participaram da sessão plenária da terça-feira (26) da Câmara de Londrina, para prestar esclarecimentos sobre o valor da passagem do transporte público coletivo na cidade. A tarifa paga pelos usuários subiu 19,8% em janeiro e está em R$ 5,75.

O diretor de Transportes da CMTU, Wilson de Jesus, e a vereadora Mara abordaram a necessidade de mais investimentos no sistema de transporte público, mencionando o pleito dos municípios por auxílio da União. Em 2022, a Prefeitura de Londrina recebeu cerca de R$ 12 milhões a partir de um programa do governo federal chamado Auxílio Emergencial à Gratuidade das Pessoas Idosas no Transporte Público Coletivo Urbano. O valor ajudou a diminuir os custos do sistema, uma vez que as gratuidades integram a planilha de custos para o cálculo da tarifa.

Wilson de Jesus apresentou um panorama da estrutura tarifária, diferenciando entre a tarifa técnica (valor repassado para as empresas) e a tarifa pública (aquela efetivamente paga pelo usuário). “Antes dos impactos pós-pandemia, era comum que o valor da tarifa técnica fosse exatamente o mesmo que o da tarifa pública. Hoje praticamente não se encontra mais municípios em que esses dois valores sejam iguais. […] Em Londrina, uma tarifa técnica está em R$ 8,49 e a outra em R$ 8,03”, disse, ao se referir aos valores repassados às duas concessionárias que operam o sistema na cidade.

Ele explicou que a definição do reajuste da tarifa em janeiro está atrelada aos índices de reposição salarial da categoria de trabalhadores, que são estabelecidos em dezembro. Além disso, ressaltou a complexidade na previsão de despesas, considerando variáveis como a oscilação no preço dos insumos, especialmente o óleo diesel. Além de Wilson de Jesus, participou da sessão o coordenador de Planejamento da CMTU, Élcio Cordeiro da Silva.

Em meio a debates sobre a necessidade de um financiamento tripartite para o transporte público, com recursos da União, do estado e do município, os representantes da CMTU e a vereadora ressaltaram a importância de encontrar soluções que garantam a sustentabilidade econômica do sistema, ao mesmo tempo em que assegurem o acesso equitativo e eficiente aos serviços de transporte para a população de Londrina.

Marcela Campos/Asimp/CML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.