Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Londrina 08/01/2024  11h23

Saúde de Londrina bate recorde histórico com quase R$ 1 bilhão investido em 2023

A marca consolida evolução gradativa nos investimentos anuais em saúde; Prefeitura aplicou R$ 5,4 bilhões em políticas públicas da área desde 2017

Reforçando o compromisso da Prefeitura de Londrina em manter e aprimorar a prestação de serviços públicos de qualidade, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) alcançou a marca de quase R$ 1 bilhão investido em políticas neste segmento em 2023. O montante aplicado na saúde pelo Município ao longo do último exercício financeiro representa um recorde histórico do Executivo, totalizando R$ 990.301.524,55 direcionados exclusivamente para essa finalidade.

Estes recursos foram aplicados na realização de obras de construções, reformas e modernizações em unidades e equipamentos de saúde, contratação de servidores e profissionais, aquisição de equipamentos, veículos e medicamentos, ações, campanhas e mutirões de cirurgias, consultas medicas e aparelhos auditivos, entre tantas outras iniciativas e atendimentos que beneficiam milhares de pessoas na cidade.

O desempenho na área da saúde consolida a evolução gradativa dos investimentos feitos pela Prefeitura de Londrina nos últimos anos, potencializados pela atual gestão. Em 2023, quando Londrina completou 89 anos, a Prefeitura aplicou cerca de R$ 132 milhões a mais que em 2022, por exemplo, quando o montante total executado foi de R$ 858 milhões. A diferença corresponde a um aumento de 15,36%.

Em comparação ao ano de 2017, quando teve início o mandato do prefeito Marcelo Belinati, os investimentos gerais em saúde de 2023 foram cerca de 70% maiores, com aplicação de R$ 405.824.200,67 a mais que o total de R$ 584.477.323,88 investido naquele começo de gestão. Somados os sete anos da atual administração até o momento, o investimento em saúde ultrapassa a casa dos R$ 5,4 bilhões.

O crescimento na receita de recursos próprios para as políticas públicas de saúde, comparando apenas os anos de 2017 e 2023, foi de quase 100%, ou seja, passou dos cerca de R$ 236 milhões para os atuais R$ 461 milhões do último ano.

Em relação ao exercício de 2022, os recursos próprios do Município para a saúde aumentaram em R$ 43.331.049,72 – o que representa 10,36% de ampliação em 2023. Quanto aos recursos transferidos pela União e o Governo do Estado à Prefeitura, o aumento foi de 21,08% em relação ao ano anterior, totalizando R$ 92.247.354,68 de diferença – passou de R$ 438 mi para R$ 541 mi. Este quadro reforça a boa articulação da Administração Municipal na captação de recursos junto à União e ao Estado.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, o número expressivo de praticamente R$ 1 bilhão em investimentos merece ser celebrado, levando em conta a série de políticas públicas fortalecidas e os esforços que a atual administração vem imprimindo para cuidar da saúde dos londrinenses. “Trata-se de um investimento importantíssimo que possibilita várias entregas em melhorias estruturais e também de assistência em saúde, ampliando o número de médicos atuando na cidade, e a realização de mutirões que são grandes obras sociais e deixarão um legado enorme da gestão do prefeito Marcelo Belinati. Conseguimos zerar a fila de espera por aparelhos auditivos, foram mais de 13 mil aparelhos entregues, que custam na rede privada de R$ 7 mil a R$ 10 mil. O cidadão comum obviamente não possui condições de adquiri-los sem este suporte, principalmente aqueles idosos que têm suas atividades limitadas pela perda auditiva e agora ganham em independência e mais qualidade de vida”, citou.

Machado acrescentou que, além de garantir a realização regular dos serviços, diversas obras contribuíram para o desenvolvimento estrutural dos equipamentos públicos de saúde, com destaque para a Maternidade Municipal. “Em 2023, tivemos a felicidade de concluir a obra da nova Maternidade, ampliada em mais de 1.000 m² e totalmente modernizada. Trata-se de um espaço do qual nos orgulhamos e que enche a cidade toda de orgulho, sendo a maternidade mais moderna de Londrina e talvez do Paraná, com toda estrutura e conforto para receber as gestantes e famílias, trazendo privacidade, segurança e conforto nessa hora tão abençoada e especial que é a chegada de um bebê”, destacou.

A diretora de Gestão Financeira, Compras e Serviços, da Secretaria Municipal de Saúde, Sandra dos Santos Silva, enfatizou que a consistência no percentual de investimentos custeado pela própria Prefeitura na saúde corrobora o protagonismo do poder municipal na viabilização de políticas públicas de qualidade à população. “Mesmo a gestão da Saúde sendo tripartite, ou seja, com financiamentos realizado por três poderes governamentais, Londrina vem conseguindo manter uma média sólida que chega perto da metade dos investimentos gerais para a saúde. Nesse formato de gestão tripartite, os recursos são majoritariamente repassados pelo governo federal, cerca de dois terços, e um terço dividido, em tese, pelos poderes estadual e municipal, e a Prefeitura de Londrina tem feito quase 50% do total de aplicações com dinheiro do seu próprio cofre. Os índices de investimento são relevantes e a atual gestão também vem conseguindo captar mais recursos vindos da União e do Estado”, comentou.

Em 2023, a Prefeitura superou em R$ 136.753.524,55 – ou 16,02% a mais – o investimento realizado em saúde em relação ao total financeiro previsto para o ano em questão, que era inicialmente de R$ 853.548.000,00. No total executado com receitas de capital (leilões e transferências de capital), o aumento entre o projetado e o executado foi de 444%. O índice positivo de diferença no quadro de receitas correntes (receita patrimonial, receita de serviços, transferências da União/Estado e outras) ficou em 31,26%; e a variação também fechou acima em 3,07% quando levados em conta os recursos próprios municipais aplicados, chamados de interferências financeiras, que é o que a Prefeitura transfere para o Fundo Municipal de Saúde (FMS).

Estes fatores de avanço demonstram o fortalecimento dos planejamentos financeiros e estratégias de trabalho do Município de Londrina em prol das diferentes áreas de políticas públicas, enfatizando a saúde como uma de suas prioridades essenciais. Tal evolução passa pelos esforços dos gestores em abrir caminhos para incrementar os recursos próprios, bem como para viabilizar aportes financeiros advindos dos governos Federal e Estadual, além de recursos adquiridos por meio de emendas parlamentares. Este conjunto exige articulações e estratégias permanentes, além de transparência, eficácia e credibilidade da máquina pública local.

Obras e melhorias espalhadas – Os investimentos em obras e equipamentos para a saúde se destacaram no último exercício, perfazendo R$ 14.180.660,00 aplicados – crescimento significativo de 307,28%. Também cresceram, em 20,95%, as aplicações para custeios de medicamentos, contratos, materiais e outros, totalizando R$ 92.413.770,64 em investimento.

Dentre as várias realizações do ano de 2023, houve a construção da nova Unidade Básica de Saúde (UBS) da Vila da Fraternidade, na região leste, e a entrega da nova sede do SAMU, a mais moderna do Paraná, em operação na Avenida Dez de Dezembro.

Também foi entregue a nova Maternidade Municipal, ampliada em mais de 1.000 m² com apartamentos individuais, possibilitando mais conforto paras as famílias com ar-condicionado, televisão, banheiro e outros elementos, em uma obra pensada para humanizar, ainda mais, os atendimentos para o bem-estar das gestantes, seus bebês e famílias.

Outras iniciativas da Prefeitura foram a renovação da frota de veículos da Secretaria Municipal de Saúde, com aquisição de 62 novos veículos, e novas ambulâncias para o SAMU, que hoje conta com 20 ambulâncias à disposição, sendo a maior frota de Londrina em sua história.

A Prefeitura também finalizou e entregou, no ano anterior, a revitalização de todo o Centro de Atenção Psicossocial para a Infância e Adolescência (CAPS I), tanto na área interna como na parte externa.

Diferentes ações de mutirões levaram benefícios à população. Na Policlínica Municipal Ana Ito, foram realizados mutirões para consultas nas especialidades de ortopedia e vascular. O Município também ultrapassou a marca de 13 mil pessoas atendidas com aparelhos auditivos, contemplando idosos, jovens e crianças.

Mais investimentos – Tendo o capital humano como grande bem de valor para a realização das políticas públicas, a Secretaria Municipal de Saúde investiu R$ 503.345.117,93 em recursos humanos, incluindo folhas de pagamento e encargos de pessoal, entre outros custos.

Para prestadores de serviços ligados ao Sistema Único de Saúde (SUS), hospitais e clínicas, o valor executado foi de R$ 393.550.213,37. Na rede própria, os gastos com medicamentos e materiais médicos e hospitalares foram de R$ 18.530.272,50, enquanto os valores de custeio do Centrolab (laboratório municipal) somam R$ 5.989.727,67.

Para 2024, o titular da pasta da Saúde de Londrina, Felippe Machado, frisou que grandes obras serão realizadas e muitos desafios continuarão sendo enfrentados para aprimorar ainda mais a qualidade dos serviços prestados. “Prosseguiremos com uma série de ações, a retomada de mutirões de forma intensificada e tantas outras iniciativas em prol da nossa saúde municipal. Sem dúvidas, seguiremos trabalhando duro para bater a meta de R$ 1 bilhão de investimentos, revertidos em mais saúde para os londrinenses. Quando o prefeito Marcelo assumiu a gestão, o orçamento para a saúde passava de pouco mais de R$ 500 milhões e hoje podemos comemorar a marca histórica de R$ 1 bilhão investido nessa área”, concluiu.

N.com

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.