Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Para aplicação da vacina, a Secretaria Municipal de Saúde ainda aguarda uma publicação de nota técnica do Ministério da Saúde contendo as orientações a serem seguidas

Ontem (14), seguindo a nota técnica divulgada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na noite de ontem (13), a Secretaria Municipal de Saúde liberou o cadastro das crianças de 3 a 5 anos de idade para o recebimento da Coronavac, imunizante contra Covid-19.

O cadastramento dos dados pessoais das crianças deve ser feito no site da Prefeitura de Londrina (clique aqui para cadastrar). “É importante fazermos um apelo aos pais e responsáveis, que rapidamente possam entrar no site da Prefeitura e fazer o cadastro de seus filhos nesta faixa etária. A expectativa é que a gente consiga efetivamente começar a vacinação ainda nesta semana ou, no mais tardar, no sábado. Mas, para isso, é importante o cadastro prévio no site da Prefeitura, porque ele nos dará todas as diretrizes e quantidades para podermos nos organizar”, pontuou o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado.

A aplicação do imunizante deve ser feita somente após a emissão de outra nota técnica, que, desta vez, precisa ser emitida pelo Ministério da Saúde incluindo essa faixa etária no Plano Nacional de Imunização (PNI). A expectativa é que a diretriz seja publicada ainda nesta semana pelo Governo Federal.  “Tão logo isso aconteça, estaremos aptos a liberar o agendamento das nossas crianças maiores de 3 anos”, explicou Machado.

Neste momento, a indicação de vacina contra Covid-19 para as crianças de 3 a 5 anos vale apenas para o CoronaVac, imunizante produzido pelo Instituto Butantan. https://i1.wp.com/agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?w=1220&ssl=1https://i2.wp.com/agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?w=1220&ssl=1Os pequenos devem receber a mesma dose aplicada nas crianças de 6 a 17 anos de idade.

Para essa liberação, os técnicos da Anvisa fizeram uma busca ativa de informações que permitissem verificar claramente o benefício da vacina nesta idade, incluindo dados da população já vacinada. Entre os pontos estudados foram levados em consideração as informações entregues pelo Instituto Butantan; o relatório do estudo do Projeto Curumim que avaliou a eficácia, segurança e imunogenicidade da vacina em crianças e adolescentes; o relatório do estudo Immunita, do Instituto René Rachou e Fiocruz Minas; os dados do Programa Vigivac, da Fiocruz Bahia; os dados de vacinação no Chile; e os pareceres de especialistas externos e convidados, além da literatura cientifica acerca do assunto.

A Coronavac está em uso no Brasil desde 17 de janeiro de 2021, sendo que, um ano depois (janeiro de 2022), a Anvisa autorizou o uso em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. Desde março, o Instituto Butantan havia solicitado a ampliação para o público a partir dos 3 anos, que foi aceito agora. Até o momento, duas vacinas contra Covid-19 estão autorizadas para as crianças brasileiras. São elas: a Pfizer, a partir de 5 anos, e a vacina Coronavac.

NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.