Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Ao longo deste ano, várias unidades de saúde foram entregues para a população após passarem por obras de reforma ou construção

Em 2023, quando celebra 89 anos, Londrina obteve muitas conquistas na área de saúde. Desde o início do ano, a Prefeitura dedicou seus esforços para entregar à população obras essenciais e de grande porte, como a nova sede da Unidade Básica de Saúde da Vila Fraternidade e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), mais a reconstrução e ampliação da Maternidade Municipal Lucilla Ballalai.

Os recursos públicos destinados à rede municipal de saúde também foram revertidos em mutirões, que promoveram consultas, procedimentos cirúrgicos, exames e próteses auditivas a centenas de pacientes que aguardavam em fila de espera.

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, relembrou alguma das conquistas obtidas ao longo de 2023. “É com muita alegria que a gente celebra os 89 anos da nossa tão amada cidade. E esse ano, em especial na área da saúde, tivemos muito trabalho, muita dedicação e muito empenho das nossas equipes. Dessa forma, pudemos realizar várias entregas para Londrina. Vou destacar algumas, porque foram inúmeras e talvez até me esqueça de ações importantes. Conseguimos reconstruir a Unidade Básica da Vila da Fraternidade e a nova sede do SAMU, que é a mais moderna de todo o estado do Paraná. Também pudemos entregar a nova Maternidade Municipal, ampliada em mais de 1.000 m² com apartamentos individuais, dando mais conforto paras as famílias com ar-condicionado, televisão, banheiro, enfim, todo um processo de trabalho pensado na humanização e no bem-estar das nossas gestantes, dos seus bebês e da sua família”, reforçou.

Machado acrescentou a renovação da frota de veículos da Secretaria Municipal de Saúde, com aquisição de 62 novos veículos, todos mediante processo licitatório. “Dezenas de carros foram entregues para nossas equipes de Saúde da Família das Unidades Básicas de Saúde e às equipes de Vigilância, mais a frota dos carros administrativos que levam pacientes para fazerem tratamento fora de domicílio. Também pudemos agregar ao SAMU novas ambulâncias e hoje a frota possui vinte ambulâncias se revezando à disposição da população. Isso significa que, hoje, Londrina possui a maior frota da história do nosso SAMU”, complementou.

Obras 

Já no primeiro trimestre do ano, no mês de março, foi inaugurada a nova sede do Samu 192, na Avenida Dez de Dezembro. O prédio, construído do zero, centralizou todos os serviços que envolvem o Samu. Dessa forma, a nova sede agrega o heliponto para pousos e decolagens do helicóptero de atendimento aeromédico, estacionamento para ambulâncias e o Complexo Regulador de Urgência.

Os servidores contam ainda com alojamento, refeitório, salas de reuniões e outros espaços, todos climatizados. Toda a obra custou R$ 5.429.508,73, entre recursos do Governo do Estado e da Prefeitura de Londrina, que também adquiriu o mobiliário para equipar a sede do Samu.

Para atender Londrina e os demais 20 municípios de sua área de abrangência, o Samu conta com 20 ambulâncias, das quais quatro são para de suporte avançado, 15 para suporte básico e o aeromédico. E outras duas ambulâncias de transporte fazem a remoção de pacientes atendidos nas unidades de saúde.

O diretor de Urgência e Emergência da SMS, Cleiton José Santana, detalhou que, entre os 230 servidores que atuam no Samu, estão médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, condutores socorristas, técnico de gestão pública, farmacêutica e serviços gerais. “Recebemos uma média de 600 ligações por dia, pelo telefone 192, e que geram atendimento de ambulância nas diversas situações de urgência e emergência”, acrescentou.

No início de maio, houve mais uma entrega especial para toda população de Londrina e região. A Maternidade Municipal concluiu suas obras de ampliação e passou a atender as gestantes e seus bebês com mais conforto e privacidade, em um prédio totalmente revitalizado.

Todos os meses, cerca de 800 mulheres passam pela Maternidade, onde são realizados, em média, 250 partos por mês. Desde sua fundação, em 1992, a unidade já realizou quase 100 mil partos de londrinenses e cidades vizinhas, já que é referência para gestantes de risco habitual atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Com a ampliação, a Maternidade Municipal Lucilla Ballalai ganhou 1.000 m² de área construída, viabilizando a entrega de novos apartamentos para acolher as mulheres no pós parto com seus bebês e acompanhantes. Nesses apartamentos, há televisores, poltronas reclináveis, aparelhos de ar-condicionado e banheiro individual.

Em 2021, a Maternidade Municipal já havia recebido sua nova ala pré-parto, muito mais moderna e equipada. E no ano anterior, foi concluída a primeira etapa da reforma e ampliação do prédio, com a conclusão do Centro Cirúrgico, interligando o Centro de Parto Normal ao Centro Obstétrico, e outros espaços.

Ao todo, para a ampliação e reconstrução da Maternidade, foram investidos quase R$ 10 milhões, sendo R$ 7.575.569,77 milhões para as obras e aproximadamente R$ 2 milhões na aquisição de equipamentos e mobiliário.

A construção da UBS da Vila Fraternidade beneficiou cerca de 5 mil moradores da região, que estavam desde 2014 sem uma unidade própria. Inaugurado no final de maio, o novo prédio passou a contar com uma área total construída de 311,05 m², espaços modernos e arejados, novos equipamentos e mobiliário, entre outras melhorias.

Segundo a coordenadora Lizandra Maroti Oliver Furlaneto, essa foi uma obra muito esperada pela comunidade. “Quando iniciamos os atendimentos a população e os servidores se sentiram gratificados, pois estavam esperando esse prédio por muito tempo. Apesar de pequena, temos uma população que depende bastante dos atendimentos da UBS. Dentre as vantagens do novo prédio, a principal é a localidade, por estar mais próximo da população dessa área de abrangência, além de ter uma infraestrutura totalmente nova, diferenciada, climatizada, bem diferente e melhor que estrutura antiga”, ressaltou.

O corpo de profissionais dessa UBS inclui dois enfermeiros, sete auxiliares de enfermagem, um administrativo, um dentista, um auxiliar de odontologia, e dois médicos, sendo um da Família e Comunidade e outro clínico geral. A unidade conta também com quatro profissionais da equipe e-Multi, mais o Consultório na Rua (CnR).

Dessa forma, os moradores da Vila Fraternidade e bairros vizinhos têm à disposição serviço de acolhimento, atendimento de enfermagem, acompanhamento da gestante e do bebê (pré-natal e puericultura); consultas médica, odontológica, de enfermagem e multiprofissional, nas áreas de psicologia, nutrição, fisioterapia, educador físico. Ali também é feita a dispensação de medicamentos, exames preventivos, vacinação, curativo, inalação e administração de medicamentos, e são ofertados grupos de educação em saúde para participação da comunidade em encontros regulares.

No final do primeiro semestre, a Prefeitura concluiu a reforma que recuperou todo o Centro de Atenção Psicossocial para a Infância e Adolescência (CAPS I), tanto na área interna como na parte externa. Responsável por atender crianças e adolescentes de seis a 18 anos incompletos que estejam em sofrimento psíquico ou façam uso de substâncias psicoativas, o CAPS I presta, em média, 1.500 atendimentos por mês.

Ali, atuam quatro médicos, sendo três psiquiatras, seis psicólogos, um terapeuta ocupacional, um assistente social, dois auxiliares de enfermagem, uma enfermeira e duas profissionais de apoio e serviços de copa. Dentre os serviços que a equipe realiza, estão consultas médicas, grupos terapêuticos, grupos de família e oficinas terapêuticas, além do atendimento psicológico individual nos casos especiais. Oferta ainda visita domiciliar, discussão de casos e atendimento territorial.

A última reforma na estrutura dessa unidade havia ocorrido em 2004. E após a obra, que transformou o prédio em um local muito mais agradável e convidativo aos pacientes e seus familiares, os servidores também passaram a desfrutar do bem-estar que as melhorias proporcionaram. “Agora temos um ambiente claro, alegre, harmonioso, com uma pintura adaptada ao espaço, clima leve e refrigerado, o que traz muito mais tranquilidade e paz a todos que são atendidos. Além da organização do ambiente, que é de extrema importância na garantia de saúde mental”, enfatizou a coordenadora responsável pelo CAPS I, enfermeira Silvana Valentim.

Para recuperar o CAPS I, a Prefeitura investiu cerca de R$226 mil em recursos próprios. Desse montante, foram aplicados R$ 150 mil nas intervenções do prédio e R$ 76 mil para a aquisição de novos móveis e equipamentos.

Outras unidades de saúde da rede municipal também receberam melhorias e foram entregues para a população este ano. Uma delas foi a UBS da Usina Três Bocas, situada no patrimônio rural Três Bocas, e que ganhou melhorias para garantir a acessibilidade de todos os seus usuários. Na região oeste da cidade, a UBS do Jardim Tókio passou por manutenções corretivas e preventivas, ganhou nova pintura, adequações de acessibilidade e outros serviços, para melhor atender sua área de abrangência, composta por aproximadamente 15 mil pessoas.

Atendimentos

E os mutirões, que estão sendo retomados após a paralisação durante a pandemia de Covid-19, estão sendo um sucesso. Na Policlínica Municipal Ana Ito, foram realizados mutirões para consultas nas especialidades de ortopedia e vascular. Para ortopedia, foram convocados 174 pacientes, e na área vascular, outros 40.

“Os mutirões são uma essa ação iniciada lá em 2017, na primeira administração do prefeito Marcelo Belinati. Chegamos ao número de mais de 13 mil pessoas atendidas com aparelhos auditivos, sejam eles idosos, jovens ou crianças, trazendo qualidade de vida a essas pessoas e recuperando sua autonomia e independência. Ou seja, foi mesmo um ano muito abençoado e de muito trabalho, em que a gente pode entregar vários presentes para nossa cidade. E já firmamos compromisso para que, em 2024, quando a nossa cidade completará 90 anos, que tenhamos a condição de repetir ou até ampliar o número de entregas na saúde para nossa população”, concluiu o secretário de Saúde.

NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.