Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

As ações são gratuitas e abertas a pessoas com idade a partir de 60 anos; os participantes vão aprender sobre autocuidado e zelo pelo meio ambiente

A Secretaria Municipal do Idoso (SMI), em parceria com a Secretaria Municipal do Ambiente (Sema), promoverá a quarta vivência de Ecoarteterapia, uma experiência de autocuidado. A atividade será na próxima quarta-feira (13), das 9h às 10h30, na sede do Centro de Convivência da Pessoa Idosa “Benedito Camargo Sobrinho”, da Região Oeste (CCI Oeste), localizada na Rua Serra Pedra Selada, 111, Jardim Bandeirantes.

Podem participar pessoas com idade a partir de 60 anos, e não é necessário se inscrever. Para mais informações, é possível entrar em contato pelo telefone (43) 3375-0334. A atividade será conduzida pelo professor Valdir de Oliveira e pela psicóloga Renata Graner, da Assessoria de Educação Ambiental da Sema.

O objetivo desta ação é fomentar experiências de autocuidado e de zelo pelo meio ambiente, despertando o entendimento de que o cuidado com a natureza é uma forma de cuidar de si mesmo. A iniciativa também aborda a responsabilidade e a solidariedade em relação às diversas formas de vida.

De acordo com o professor da Assessoria de Educação Ambiental da Secretaria Municipal do Ambiente, Valdir de Oliveira, serão realizadas oficinas com elementos naturais ou resíduos, práticas dinâmicas, mediação de leitura, meditação e experimentos ecopsicológicos. A duração será de cerca de 1h30.

Oliveira disse que o encontro terá como foco o elemento natural ar. “Uma das integrantes do grupo vai conduzir uma expressão artística, apresentando dobraduras de origami, o que nos permitirá trabalhar a questão da poluição do ar, a arborização e uma meditação a respeito desse elemento natural”, explicou.

De acordo com o gerente de Articulação Comunitária da Secretaria do Idoso, Michel Alcazar Nakad, a realização das oficinas com temáticas diferenciada nos Centros de Convivência permite a diversificação dos conteúdos apresentados. “Isso promove a continuidade do processo de aprendizagem, estimula a cognição e contribui para a saúde mental e psicológica das pessoas idosas”, afirmou.

Daiane Dutra/NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.