Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Cidade recebe obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário no valor de R$ 150 milhões e que vão beneficiar 5,2 mil famílias. Curso prepara profissionais para fazer as ligações internas dos imóveis, utilizando caixas de passagem e de gordura, e explica a diferença entre as tubulações de esgoto e de água de chuva.

“Encanador que é bom profissional tem que saber fazer da maneira correta”. Com esta frase, Sérgio Ferreira da Silva avalia o resultado de sua participação no curso de aperfeiçoamento para encanadores em Arapongas na terça-feira (23). No evento, técnicos da Sanepar demonstraram como executar a interligação dos imóveis à rede coletora de esgoto.

Arapongas está recebendo obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário no valor de R$ 150 milhões e que vão beneficiar 5,2 mil famílias. O curso prepara os profissionais para fazer as ligações internas dos imóveis, utilizando caixas de passagem e de gordura, além explicar a diferenciação entre as tubulações de esgoto e de água de chuva.

 “Estes são fatores importantes para o bom funcionamento da rede coletora e essenciais para a proteção do meio ambiente”, explica a gestora ambiental da Sanepar Andrea Fontes.

Sérgio conta que é um “faz tudo”: encanador, pedreiro, eletricista e pintor. “Mas mexer com encanamento é o que mais faço”, explica. Ele foi inscrito no curso pelo filho Alisson, 20 anos, que é bombeiro civil e, nas folgas, vira parceiro do pai nas obras. Ambos foram certificados no curso.

“Adoramos. Aprendemos muitas coisas. Eu que sou do ramo, me atualizei. Muitas coisas eu não sabia, e aprendi como o sistema da Sanepar funciona”, resume.

Pai e filho moram no Conjunto Piacenza, zona Sul da cidade. O bairro está com a obra de implantação da rede de esgoto em fase final. “Estamos muito felizes. Já foi o tempo de usarmos fossas. A região está em cima de lençol freático. A rede garante a proteção do meio ambiente. Não vejo a hora de instalar”, destaca Sérgio.

O encanador Miguel de Araújo Moura levou o filho Victor, de 14 anos. “Falei pra ele que estaria o dia todo no curso e ele quis vir junto. Prestou atenção em tudo e fez perguntas interessantes”, conta o pai, orgulhoso.

Miguel trabalha na Prefeitura de Arapongas como auxiliar-geral e diz que faz todo tipo de manutenção. Ele afirma que o curso foi muito útil e que gosta de estudar. “Estou sempre agregando um conhecimento a mais”, comenta.

O filho quis entender melhor a diferença entre galeria de água pluvial e tubulação de esgoto. O técnico da Sanepar Silvio Fachini explicou que a água de chuva deve escorrer pelas ruas até a “boca de lobo”, que é a entrada para a galeria pluvial. A galeria, por sua vez, leva a água para rios e córregos, sem qualquer tratamento. Este sistema é de responsabilidade das prefeituras.

AEN

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.