Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Uma das prioridades trabalhadas pela gestão do governador Ratinho Junior, a economia paranaense deve ter lugar de destaque nacional em 2022. É o que aponta um relatório publicado pelo Banco Santander nesta semana, que estima um crescimento de 3,1% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual em 2022.

Caso as projeções do banco se confirmem, o desempenho do Paraná deverá superar a média nacional e ser o maior entre os estados da região Sul do País. Entre os destaques para o expressivo crescimento paranaense está o setor de serviços, cuja estimativa é de aumento de 4,1%.

“O setor de serviços deve ser destaque da retomada ao longo de 2021 e 2022. Em 2023, a tendência é de ligeiro crescimento, desempenho que tende a ser melhor do que a média nacional no ano”, pontua o autor do estudo, o economista Gabriel Couto, no relatório do banco.

Em seguida, está o setor industrial, com expansão prevista de 1,6% do PIB, e a agropecuária, que deverá avançar 1,3% no ano após superar os desafios impostos pela crise hídrica nos últimos anos. O Paraná, aliás, deverá ser o único estado do Sul com crescimento econômico no setor agropecuário.

Desburocratização e estímulos fiscais

O crescimento econômico período de recuperação econômica pós auge da crise causa pela pandemia da Covid-19, mas também reflete medidas tomadas pela atual gestão estadual.

Entre elas estão a redução da burocracia na prestação de serviços burocráticos do Estado, que reduziram prazos legais de processos de abertura de empresas e obtenção de licenças, bem como o pacote de estímulos fiscais que atraíram cerca de R$ 120 bilhões em investimentos privados para o Paraná nos últimos quatro anos.

Em passagem por Londrina, onde participou de reunião com representantes do setor da construção civil, o governador Ratinho Junior disse que o indicador positivo é uma consequência da estratégia adotada pela gestão estadual. “O Paraná foi o estado que mais gerou emprego do Sul do Brasil e que teve a maior geração de emprego da história, o que está ligado à atração de novas empresas, novas indústrias, dos investimentos no comércio e na construção civil”.

Em 2021, o Paraná bateu recorde na geração de empregos da série histórica do CAGED, que apontou um saldo positivo inédito de 174 mil postos de trabalho no estado. Desde 2019, o Paraná soma quase 360 mil empregos gerados, com perspectiva de novo recorde ao fim deste ano.

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.