Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

André Pepitone da Nóbrega participou da solenidade de abertura do Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, em Brasília (DF)

O diretor financeiro executivo da Itaipu, André Pepitone de Nobrega, defendeu a transição energética para que se chegue a um futuro elétrico mais seguro, robusto, inclusivo e sustentável. A defesa foi feita durante a solenidade de abertura do XXVII SNPTEE - Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica, no domingo (26). O evento, considerado o maior da América Latina e o segundo maior do mundo, prossegue até esta quarta-feira (29), em Brasília (DF).

Durante a solenidade, Pepitone pontuou que em 2023 celebramos mais uma “fabulosa fase na vida do Setor Elétrico Brasileiro – ultrapassamos o marco de 200 mil MW de potência instalada e o consumo ultrapassou a marca dos 100 mil MW. O Brasil é um gigante”, disse.

Destacou, ainda, que o Brasil dispõe de uma das matrizes energéticas mais limpas dentre as grandes economias mundiais e alto potencial de geração de eletricidade limpa e renovável, com produção sustentável de bioenergia. “Cerca de 85% da matriz elétrica e 50% da matriz energética do Brasil já contam com fontes limpas e renováveis”, contextualizou. “Agora, é a hora de avançarmos ainda mais na transição energética, reforçando ações para a matriz de transportes e indústria.”

Diante do auditório lotado, Pepitone homenageou todas as pessoas que atuam no setor elétrico brasileiro. “Vocês representam a força da engenharia nacional”, afirmou.

O diretor destacou para o público a importância da Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A, a Eletronorte, com sede no Distrito Federal, para o sistema elétrico brasileiro e que em junho último completou 50 anos. A empresa é responsável pela coordenação do SNPTEE.

 “A história da Eletronorte é rica, cheia de desafios e superações. O significado desta empresa vai muito além de sua capa cidade técnica de gerar e transmitir energia. A Eletronorte promoveu uma verdadeira redenção na região da Amazônia Legal”, afirmou. Ele lembrou que o pai, engenheiro Queiroga, no final da década de 1970, foi um dos pioneiros que, vestindo a camisa da empresa, assumiu o desafio de levar luz aos rincões mais distantes da Região Amazônica.

Pepitone reforçou que “as usinas hidrelétricas têm e sempre terão bastante importância na matriz elétrica brasileira. Nos últimos anos, as usinas hidrelétricas foram demonizadas, marginalizadas, de maneira exagerada e pouco técnica”, criticou. Segundo o diretor, o sucesso recente de Jirau, Santo Antônio e Belo Monte leva a uma reflexão. “Não podemos perder a perspectiva de que a energia hidrelétrica é limpa, renovável e depende exclusivamente da água dos rios para mover as turbinas. Além disso, a capacidade de regularização da vazão pelas hidrelétricas, em tempos de eventos climáticos extremos, é benefício relevante para a sociedade moderna.”

Segundo o diretor financeiro executivo de Itaipu, é necessário que o planejamento considere a construção de novas hidrelétricas. E argumentou: “Em 2024, o Brasil assumirá a Presidência do G20 e tem o compromisso de realizar diversas reuniões setoriais, culminando com a reunião de chefes de Estado no final de 2024, no Rio de Janeiro. Em Foz do Iguaçu, Itaipu irá sediar as reuniões ministeriais de energia limpa e a missão de inovação, além do encontro do grupo de trabalho de transição energética do G20, coordenada pelo Ministério de Minas e Energia e Ministério das Relações Exteriores”.

Ainda citou a frase do economista Celso Furtado, seu conterrâneo paraibano: “O futuro deve ser uma fronteira aberta à invenção do homem”.

Seminário

O XXVII SNPTEE tem coordenação da Eletronorte e a promoção é do Comitê Nacional Brasileiro de Produção e Transmissão de Energia Elétrica-Cigré Brasil. O objetivo do encontro é possibilitar a troca de informações e experiências entre profissionais da área de energia elétrica.

Asimp/Itaipu

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.