Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Agentes verificam serviços técnicos e se os mesmos foram prestados por profissionais devidamente habilitados

Entre as ações que deverão ser intensificadas pelo Crea-PR (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) em todo o Estado neste ano está a fiscalização em condomínios. Muito mais que os atrativos oferecidos hoje pelos empreendimentos, está a necessidade dos espaços coletivos permitirem um convívio com mais segurança. E é ai que entra a atuação do Conselho.

Os fiscais do Crea verificam junto aos síndicos, serviços técnicos executados nos últimos 12 meses e a existência de ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) desses serviços. A ART identifica de forma legal, objetiva e rastreavel, que a obra ou serviço foram planejados e executados por um ou mais profissionais legalmente habilitados pelo Crea. Ela é um instrumento de segurança, tanto para os profissionais, pois delimita até onde vai a responsabilidade dele, como também para a sociedade.

“O trabalho do Crea também consiste em orientar os síndicos sobre preservação e manutenção do patrimônio coletivo, ações que são de responsabilidade deles”, explica a Engenheira Ambiental e gerente de Fiscalização do Crea-PR, Mariana Maranhão.

Todos os Creas do Brasil estarão focados, entre outras atividades, nessa ação em condomínios, com as mesmas orientações de fiscalização. Em 2022, a fiscalização foi feita em hospitais. “O Sistema Confea/Crea tem buscado essa unidade de ação com o objetivo em comum de alcançar resultados em nível nacional”, destaca Mariana.

Na lista da fiscalização, constam mais de 30 itens a serem observados. Entre os principais estão a manutenção de ar-condicionado, com foco em equipamentos que fazem parte de um sistema climatizado em áreas de convivência; manutenção preventiva de elevadores e cercas elétricas; e a verificação do sistema de proteção contra descargas atmosféricas.

 “A fiscalização permite identificar se todas as atividades relacionadas às Engenharias e Geociências são executadas por responsável técnico com o registro da respectiva ART. Isso pode prevenir inúmeros acidentes e reprimir infrações à legislação profissional”, ressalta Mariana.

Os responsáveis pelos estabelecimentos fiscalizados terão prazo para se manifestar sobre o que for exposto em relatório e, caso não se pronunciem, o Crea poderá fazer denúncias na prefeitura ou em outros órgãos municipais.

É importante lembrar que não compete à fiscalização do Crea verificar questões referentes a obras, riscos de desabamentos, à falta de segurança e de proteção individual de trabalhadores. No entanto, caso situações como essas sejam constatadas, órgão competentes serão comunicados para as providências necessárias.

Rafael Henrique/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.