Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano (PSD), e o primeiro secretário da Casa, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD), reafirmaram na segunda-feira (07) o compromisso do Legislativo paranaense com a democracia brasileira. Para os parlamentares, é necessário respeitar o resultado das eleições, além de se promover uma defesa do estado democrático de direito. Segundo os deputados, estes serão instrumentos para a pacificação do Brasil. Eles se posicionaram ainda contra atos antidemocráticos que ocorrem pelo País.

O deputado Ademar Traiano lembrou a necessidade da união dos parlamentares em defesa das eleições, dos resultados das urnas e do processo democrático. “O que está em jogo é segurança jurídica de nossa democracia. O parlamento é o ponto de equilíbrio da democracia, onde ocorre o nascimento das leis e todos os segmentos da sociedade estão representados. Entendo que é chegado o momento de termos a grandeza de trabalharmos na pacificação deste País, entendendo o resultado das eleições. Quem viveu em uma ditadura tem a compreensão sobre a excelência da democracia”, disse o presidente da Assembleia.

Traiano demostrou ainda preocupação com os movimentos antidemocráticos que ocorrem no País. Ele afirmou ser preciso respeitar os resultados das eleições. “É chegado o momento de juntarmos forças para entender que o que está em jogo é vida dos brasileiros. Precisamos dar a possibilidade de que os eleitos façam um bom governo. Preocupa-nos os movimentos que estão acontecendo e que geram dúvidas sobre o resultado das eleições. Temos de sepultar isso. O processo eleitoral acabou. As urnas espelharam a vontade da população. É chegado o momento de construir um novo Brasil”.

O deputado Romanelli concordou e reafirmou a necessidade de defesa ao estado democrático de direito. "A fala do presidente é a fala do parlamento, da instituição e da defesa do estado democrático de direito. É a fala de todos os que têm a reponsabilidade de representar o povo. Sabemos que participamos de uma eleição onde o processo democrático foi respeitado. Não existe regime melhor que a democracia. Quando restabelecemos a democracia após a ditadura militar, reestabelecemos o melhor que o País tem. Democracia é respeitar as regras do jogo democrático. Os eleitos já foram declarados pela Justiça", afirmou o primeiro secretário da Assembleia.  

Grande Expediente

O Grande Expediente desta segunda-feira contou ainda com um pronunciamento do senador eleito pelo Paraná, Sérgio Moro (União Brasil). A proposição foi do deputado Luiz Fernando Guerra (União Brasil). Guerra saudou a presença de Sérgio Moro na Assembleia, lembrando a trajetória dele como juiz e Ministro da Justiça. “Os paranaenses foram às urnas e confirmaram a eleição de Sérgio Moro como senador da República, representando o Paraná em Brasília. Nele, deposito a certeza de trabalhar junto pelo municipalismo e pelas bandeiras do nosso Estado. O Paraná terá um senador forte na capital federal. Agora é a hora da união em favor do Paraná e em prol de um Estado mais forte”, declarou Guerra.

O senador eleito Sérgio Moro reafirmou o compromisso de seu mandato com o Paraná. “No Senado, estarei à disposição do Estado. Além de um projeto de Brasil, serei um senador do Paraná. Quero me colocar à disposição desta Casa e da população para ser um veículo para tratar desses temas. Teremos tempos desafiadores, como a desaceleração econômica das potências mundiais. Também teremos cenários econômicos desafiadores no Brasil, com problemas que deverão ser atacados, como o das alíquotas do ICMS, assim como um desafio fiscal pela frente”, avaliou. 

Moro falou ainda sobre outros pontos de seu trabalho no primeiro mandato e as pautas que pretende defender em Brasília. “Quero me colocar à disposição para ser um instrumento perante o Governo Federal, sem abandonar as pautas que fazem parte da minha história, como a segurança pública. Este tema é essencialmente importante para o Brasil. Temos também a pauta importante de combate à corrupção. Não podemos tolerar qualquer espécie de desvio. Serei um instrumento para tratar estes temas importantes para a vida das pessoas”, comentou.

ALEP

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.