Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O deputado estadual Cobra Repórter (PSD), aprovou na Assembleia Legislativa do Paraná, ontem (27), um requerimento direcionado ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT ), pedindo informações sobre o novo programa de concessões de pedágios do Governo Federal para as rodovias paranaenses.

Entre as informações solicitadas estão o modelo de concessão previsto, os critérios que serão adotados para os leilões dos trechos e o que será feito para reduzir o preço da tarifa. A indefinição do Governo Federal está causando degradação à malha viária, prejudicando o transporte da safra agrícola, da produção da indústria e o comércio em geral, bem como a circulação de veículos. 

“Com o fim dos contratos e da cobrança das tarifas de pedágios em diversas praças do Paraná, os problemas na manutenção das estradas, que passaram a ser de responsabilidade do Governo Federal, são constantes. São buracos nas pistas, falta de acostamentos, pontes sem manutenção, falta de sinalização, dentre outros problemas, fatos esses que expõem os motoristas à insegurança. Um levantamento recente, feito pelo setor produtivo, mostra que as condições das estradas, aliadas à demora do atendimento, diminuiu a velocidade média nas rodovias em 20%, o que prejudica, por exemplo, o escoamento da safra agrícola, bem como outros setores da produção, como os da indústria e comércio em geral”, ressalta o deputado

Além disso, informa, as antigas praças de cobrança se transformaram em locais para a prática de tráfico de drogas e outros crimes. Cobra Repórter lembra ainda que muitas praças já foram destruídas e os custos irão recair sobre o bolso do contribuinte paranaense, após a nova concessão.

Meire Bicudo e Veruska Barison/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.