Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A deputada Flávia Francischini (União Brasil) criticou na tribuna do Plenário, na sessão de ontem (2) o abuso de autoridade do governo federal em usar o Ministério da Justiça e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) para constranger o Google e outras empresas privadas que estão se posicionando contra o PL 2630, a lei da Censura.  Inclusive impôs medida cautelar ao Google Brasil com aplicação de multa de R$ 1 milhão por hora por manifestações contra o projeto de lei.

 “Quem quer que o PL da Censura vire Lei no Brasil, simplesmente tem um lado, e esse lado não é o da livre opinião”, disse Flávia.

De acordo com a parlamentar, o PL, tal como está, vai criar a figura do censor e, pior, escolhido pelo governo federal, pelo Conselho de Transparência. “A informação passará a ter lado, e esse mal permitirá que os censores do governo petista, padrinho da lei, possam aplicar multas milionárias contra as grandes empresas de tecnologia, e provedores que sigam a sua opinião. Cada multa é de até 100 mil reais”, criticou.

Ainda de acordo com a parlamentar, outra questão que está passando despercebida e é extremamente perigosa, senão a pior das ferramentas de censura: a de esconder os conteúdos pelo mecanismo de busca.

“Imaginem que daqui a pouco não conseguirmos achar nada sobre a Lava- Jato por ser do interesse do atual presidente e de vários amigos dele, que essa história seja esquecida. Fica claro que isso será usado para blindar pessoas e interferir no fluxo das comunicações”, afirmou.

Ainda no seu discurso, Flávia destacou o censo de normalidade que o STF tem levado em muitas situações. “A sensação de que não pudemos mais reclamar, contestar, utilizar os remédios jurídicos constitucionais existentes”.

“Já que querem tanto acabar com a liberdade de expressão, que se escolha motivos passíveis de censura, como a fala esdrúxula do presidente da República, na semana passada, que afirmou que os autistas têm desequilíbrio de parafuso”, concluiu Flávia.

ALEP

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.