Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Aposse do titular do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC), Silvio Almeida, chegou ao primeiro lugar entre os assuntos mais comentados na rede social Twitter, ontem (3). Desde o início da tarde, o nome do ministro esteve no topo, entre os assuntos mais comentados, alcançando o pico de 18 mil citações por volta das 16h.

Recém-empossado, o ministro, professor, advogado e escritor atuará na promoção de direitos, defesa e proteção da diversidade social brasileira. “Quero agradecer aos que vieram e aos que não puderam entrar. Não imaginávamos que tantas pessoas estariam aqui, agradeço a todas e todos. Este será o ministério do diálogo, da cooperação e da união de esforços”, disse.

Silvio Almeida reverencia luta por memória, verdade e justiça em discurso de posse como ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania

Durante o evento, o ministro também empossou, simbolicamente, os gestores que integram o primeiro escalão do ministério. “Agradeço a toda equipe que topou junto comigo o desafio de reconstruir os direitos humanos no Brasil. Agradeço pela coragem, pois os direitos humanos não podem ser deixados de lado, são uma questão central. Com esse compromisso, quero ser ministro que põe a vida e a dignidade em primeiro lugar”, completou.

Entre os empossados, estiveram a secretária executiva, Rita Cristina de Oliveira; os secretários nacionais dos Direitos da Criança e do Adolescente, Ariel de Castro Alves; de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, Isadora Brandão Araújo da Silva; de Promoção e Defesa dos Direitos das Pessoas LGBTQIA+, Symmy Larrat; dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Anna Paula Feminella; e dos Direitos da Pessoa Idosa, Alexandre da Silva; além do ouvidor nacional de Direitos Humanos, Bruno Renato Teixeira.

Ainda na solenidade, o ministro anunciou que vai reativar a Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos e criou a Assessoria Especial de Defesa da Democracia, Memória e Verdade. Para chefiar a estrutura, nomeou Nilmário Miranda que, no primeiro mandato do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, foi o primeiro secretário especial de Direitos Humanos.

Ascom/ MDHC

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.