Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (1Rs 10,1-10)

Leitura do Primeiro Livro dos Reis.

1 Naqueles dias, a rainha de Sabá, tendo ouvido falar – para a glória do Senhor – da fama de Salomão, veio prová-lo com enigmas. 2 Chegou a Jerusalém com numerosa comitiva, com camelos carregados de aromas, e enorme quantidade de ouro e pedras preciosas. Apresentou-se ao rei Salomão e expôs-lhe tudo o que tinha em seu pensamento.

3 Salomão soube responder a todas as suas perguntas: para ele nada houve tão obscuro que não pudesse esclarecer. 4 Quando a rainha de Sabá viu toda a sabedoria de Salomão, a casa que tinha construído, 5 os manjares da sua mesa, os cortesãos sentados em ordem à mesa, as diversas classes dos que o serviam e suas vestes, os copeiros, os holocaustos que ele oferecia no templo do Senhor, ficou pasmada e disse ao rei:

6 “Realmente era verdade o que eu ouvi no meu país a respeito de tuas palavras e de tua sabedoria! 7 Eu não queria acreditar no que diziam, até que vim e vi com os meus próprios olhos, e reconheci que não me tinham dito nem a metade. Tua sabedoria e tua riqueza são muito maiores do que a fama que chegara aos meus ouvidos. 8 Feliz a tua gente, felizes os teus servos que gozam sempre da tua presença e que ouvem a tua sabedoria! 9 Bendito seja o Senhor, teu Deus, a quem agradaste, que te colocou sobre o trono de Israel, porque o Senhor amou Israel para sempre, e te constituiu rei para governares com justiça e equidade”.

10 Depois, ela deu ao rei cento e vinte talentos de ouro e grande quantidade de aromas e pedras preciosas. Nunca mais foi trazida tanta quantidade de aromas como a que a rainha de Sabá deu ao rei Salomão.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório Sl 36(37),5-6.30-31.39-40 (R. 30a)

— O justo tem nos lábios o que é sábio.

— O justo tem nos lábios o que é sábio.

— Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; confia nele, e com certeza ele agirá. Fará brilhar tua inocência como a luz, e o teu direito, como o sol do meio-dia.

— O justo tem nos lábios o que é sábio, sua língua tem palavras de justiça; traz a Aliança do seu Deus no coração, e seus passos não vacilam no caminho.

— A salvação dos piedosos vem de Deus; ele os protege nos momentos de aflição. O Senhor lhes dá ajuda e os liberta, defende-os e protege-os contra os ímpios, e os guarda porque nele confiaram.

Evangelho (Mc 7,14-23)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— Vossa palavra é a verdade; santificai-nos na verdade! (cf. Jo 17,17ba)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14 Jesus chamou a multidão para perto de si e disse: “Escutai todos e compreendei: 15 o que torna impuro o homem não é o que entra nele vindo de fora, mas o que sai do seu interior. 16 Quem tem ouvidos para ouvir ouça”.

17 Quando Jesus entrou em casa, longe da multidão, os discípulos lhe perguntaram sobre essa parábola. 18 Jesus lhes disse: “Será que nem vós compreendeis? Não entendeis que nada do que vem de fora e entra numa pessoa pode torná-la impura, 19 porque não entra em seu coração, mas em seu estômago e vai para a fossa?” Assim Jesus declarava que todos os alimentos eram puros.

20 Ele disse: “O que sai do homem, isso é que o torna impuro. 21 Pois é de dentro do coração humano que saem as más intenções, imoralidades, roubos, assassínios, 22 adultérios, ambições desmedidas, maldades, fraudes, devassidão, inveja, calúnia, orgulho, falta de juízo. 23 Todas estas coisas más saem de dentro e são elas que tornam impuro o homem”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Deixe o Senhor purificar o seu coração de todas as maldades

 “Ele disse: ‘O que sai do homem, isso é que o torna impuro. Pois é de dentro do coração humano que saem as más intenções, imoralidades, roubos, assassínios, adultérios, ambições desmedidas, maldades, fraudes, devassidão, inveja, calúnia, orgulho, falta de juízo. Todas estas coisas más saem de dentro e são elas que tornam impuro o homem’.” (Marcos 7,20-23)

O Evangelho de hoje continua no mesmo contexto do Evangelho de ontem: os fariseus eram um grupo que tinha uma preocupação extrema com certas normas e tradições religiosas, eles viviam um rigorismo incondizente com aquilo que realmente estava nos seus corações. Embora vivessem todas essas ações de purificação externa — eram vários ritos de purificação —, além de não comerem certos alimentos considerados impuros, por dentro, em seus corações, ou seja, em suas reais intenções existiam inúmeras maldades e impurezas.

A esse respeito, Jesus nos ensina, e ensina aos seus discípulos, que não são as ações externas ou o não comer certos alimentos considerados impuros que os tornaria impuros, mas o que torna a pessoa impura são as ações do seu coração, ou seja, aquilo que realmente está lá dentro. Isso sim é o que torna um homem impuro!

O que nos torna impuros diante de Deus não é o que nós comemos, não é o que entra, e sim o que sai do coração do homem. As suas intenções que, muitas vezes, são cheias de maldades, assim como o Evangelho de hoje enumerou algumas dessas maldades, algumas dessas impurezas que saem de dentro do coração humano. E um coração repleto de maldades e intenções más só pode produzir coisas dessa natureza.

O que nos torna impuros diante de Deus não é o que nós comemos, e sim o que sai do coração

Aqui novamente, chegamos a compreensão de que, diante de Deus, não adianta viver uma representação, não adianta viver inúmeras regras e tradições porque Deus sempre enxergará além das aparências. Deus vê o nosso coração, Ele vê a mais profunda das nossas intenções.

Depois, como disse ontem: a árvore sempre é reconhecida pelos seus frutos. Por mais que alguém se esconda atrás de um monte de regras externas, uma hora essas reais intenções vêm à tona, elas aparecem. Não adianta esconder por muito tempo, pois as reais intenções vêm à tona.

O caminho que devemos seguir neste sentido é um só: é permitir que o Senhor purifique o nosso coração, é permitir que o Senhor retire as maldades, que o Senhor limpe o nosso coração que é tão cheio de impurezas, pois será sempre uma ilusão querer esconder-se atrás de tradições e de coisas externas aquilo que Deus já viu no nosso coração.

A quem estaremos enganando? Podemos enganar por um certo tempo as pessoas, mas a Deus nós não enganamos. Por isso, deixemos que o Senhor purifique o nosso coração, limpe o nosso coração de tantas maldades que se alojam no nosso coração; deixe que o Senhor, hoje, adentre-o e purifique-o!

Sobre você, desça a bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!

Padre Bruno Antonio de Oliveira é Brasileiro, nasceu no dia 18/10/1987, em Lavras, MG. É Membro da Associação Internacional Privada de Fieis – Comunidade Canção Nova, desde 2012 no modo de compromisso do Núcleo.

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.