Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (2Sm 12,1-7a.10-17)

Naqueles dias, 1 o Senhor mandou o profeta Natã a Davi. Ele foi ter com o rei e lhe disse: “Numa cidade havia dois homens, um rico e outro pobre. 2 O rico possuía ovelhas e bois em grande número. 3 O pobre só possuía uma ovelha pequenina, que tinha comprado e criado. Ela crescera em sua casa junto com seus filhos, comendo do seu pão, bebendo do mesmo copo, dormindo no seu regaço. Era para ele como uma filha. 4 Veio um hóspede à casa do homem rico, e este não quis tomar uma das suas ovelhas ou um dos seus bois para preparar um banquete e dar de comer ao hóspede que chegara. Mas foi, apoderou-se da ovelhinha do pobre e preparou-a para o visitante”. 5 Davi ficou indignado contra esse homem e disse a Natã: “Pela vida do Senhor, o homem que fez isso merece a morte! 6 Pagará quatro vezes o valor da ovelha, por ter feito o que fez e não ter tido compaixão”. 7a Natã disse a Davi: “Esse homem és tu! Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: 10 Por isso, a espada jamais se afastará de tua casa, porque me desprezaste e tomaste a mulher do hitita Urias para fazer dela a tua esposa. 11 Assim diz o Senhor: Da tua própria casa farei surgir o mal contra ti e tomarei as tuas mulheres, sob os teus olhos, e as darei a um outro, e ele se aproximará das tuas mulheres à luz deste sol. 12 Tu fizeste tudo às escondidas. Eu, porém, farei o que digo diante de todo o Israel e à luz do sol”. 13 Davi disse a Natã: “Pequei contra o Senhor”. Natã respondeu-lhe: “De sua parte, o Senhor perdoou o teu pecado, de modo que não morrerás! 14 Entretanto, por teres ultrajado o Senhor com teu procedimento o filho que te nasceu morrerá”. 15 E Natã voltou para a sua casa. O Senhor feriu o filho que a mulher de Urias tinha dado a Davi e ele adoeceu gravemente. 16 Davi implorou a Deus pelo menino e fez um grande jejum. E, voltando para casa, passou a noite deitado no chão. 17 Os anciãos do palácio insistiam com ele para que se levantasse do chão; mas ele não o quis fazer nem tomar com eles alimento algum.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório Sl 50(51),12-13.14-15.16-17 (R. 12a)

— Criai em mim um coração que seja puro!

— Criai em mim um coração que seja puro!

— Criai em mim um coração que seja puro, dai-me de novo um espírito decidido. Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!

— Dai-me de novo a alegria de ser salvo e confirmai-me com espírito generoso! Ensinarei vosso caminho aos pecadores, e para vós se voltarão os transviados.

— Da morte como pena, libertai-me, e minha língua exaltará vossa justiça! Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar, e minha boca anunciará vosso louvor!

Evangelho (Mc 4,35-41)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— Deus o mundo tanto amou, que lhe deu seu próprio Filho, para todo o que nele crer, encontre a vida eterna. (Jo 3,16)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

35 Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a seus discípulos: “Vamos para a outra margem!” 36 Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo, assim como estava na barca. Havia ainda outras barcas com ele. 37 Começou a soprar uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, de modo que a barca já começava a se encher. 38 Jesus estava na parte de trás, dormindo sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e disseram: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?” 39 Ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar: “Silêncio! Cala-te!” O vento cessou e houve uma grande calmaria. 40 Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” 41 Eles sentiram um grande medo e diziam uns aos outros: “Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Expulse toda a sensação de medo do seu coração

 “Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a seus discípulos: ‘Vamos para a outra margem!’ Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo, assim como estava na barca. Havia ainda outras barcas com ele. Começou a soprar uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, de modo que a barca já começava a se encher. Jesus estava na parte de trás, dormindo sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e disseram: ‘Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?’” (Marcos 4,35-38).

Meus irmãos e minhas irmãs, pergunto: durante as nossas tribulações, o que Deus faz? Deus dorme? Já passou pela sua cabeça essa tentação de pensar na ausência de Deus, justamente nos momentos em que você mais precisa? Nos momentos da sua vida em que você atravessa uma dificuldade, parece que Deus foi embora?

Deus esteve presente em todos os dias da criação. Ele esteve presente durante toda a travessia do deserto. Jesus esteve com os seus discípulos em toda a sua vida pública e, ao final da sua vida, prometeu que nunca abandonaria os Seus. Essa é a verdade, essa é a verdade que precisa iluminar o nosso coração e os nossos sentimentos no momento de provação, no momento em que atravessamos as dificuldades.

Repare que as tempestades do Evangelho são meios para nos ensinar como viver certos períodos difíceis da nossa vida. Todos nós atravessamos esses momentos; em uma situação ou em outra, todos nós atravessaremos esses momentos.

Numa tribulação que nós enfrentamos, o pano de fundo é o medo de estarmos sozinhos

Com o Evangelho de hoje, Jesus quer curar o nosso medo da sensação de estarmos sozinhos, Jesus não quer nos pegar no colo e privar-nos das nossas dificuldades, mas Ele quer curar o nosso coração da sensação de estarmos sozinhos no momento da provação. Aliás, por detrás de todos os momentos difíceis, está aquele velho medo da solidão, foi aquele resquício daquela sensação adâmica — onde Deus parecia ter se escondido mas, na verdade, era o homem que havia se escondido; e por quê? Respondeu Adão: “Tive medo e me escondi” (cf. Gênesis 3,10).

Por causa do medo, encontramos aqui o ponto chave. Numa tribulação que nós enfrentamos, o pano de fundo é o medo de estarmos sozinhos naquela situação, de não ter alguém com quem contar, não ter uma mão para segurar, é o nosso drama existencial. Então, o desafio não é acordar Jesus que dorme na parte de trás do barco, mas é acordar a fé e a confiança dentro de nós: “Desperta, tu que dormes”.

“Jesus dorme sobre um travesseiro”, olha o detalhe do Evangelho. Olha a tranquilidade de Jesus, Ele havia se preparado para estar tranquilo durante aquela travessia, porque Ele era um homem abandonado nas mãos de Deus, era o homem da confiança, uma confiança filial; e Ele sabia que o Pai cuidaria d’Ele.

Temos que aprender de Jesus a expulsar esse medo do nosso coração. Jesus está aqui, agora, conosco, está aí com você que está me escutando, que está me vendo. Jesus está na sua companhia, você não está sozinho jamais!

Sobre todos vós desça a bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.