Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Leitura do Livro do Profeta Jeremias.

1Nesse mesmo ano, no início do reinado de Sedecias, rei de Judá, no quinto mês do quarto ano, disse-me o profeta Ananias, filho de Azur, profeta de Gabaon, na casa do Senhor e na presença dos sacerdotes e de todo o povo: 2“Isto diz o Senhor dos exércitos, Deus de Israel: Quebrei o jugo do rei da Babilônia. 3Ainda dois anos e eu farei reconduzir a este lugar todos os vasos da casa do Senhor, que Nabucodonosor, rei da Babilônia, tirou deste lugar e transferiu para a Babilônia. 4Também reconduzirei a este lugar Jeconias, filho de Joaquim e rei de Judá, juntamente com toda a massa de judeus desterrados para a Babilônia, diz o Senhor, pois eu quebro o jugo do rei da Babilônia”.

5Respondeu o profeta Jeremias ao profeta Ananias, na presença dos sacerdotes e de todo o povo que estava na casa do Senhor, 6dizendo: “Amém, assim permita o Senhor! Realize ele as palavras que profetizaste, trazendo de volta os vasos para a casa do Senhor e todos os deportados da Babilônia para esta terra. 7Ouve, porém, esta palavra que eu digo aos teus ouvidos e aos ouvidos de todo o povo: 8Os profetas que existiram antigamente, antes de mim e antes de ti, profetizaram sobre guerras, aflições e peste para muitos povos e reinos poderosos; 9mas o profeta que profetiza paz, esse somente será reconhecido como profeta, que em verdade o Senhor enviou, quando sua palavra for verificada”.

10Então o profeta Ananias retirou o jugo do pescoço do profeta Jeremias e quebrou-o; 11e disse Ananias, na presença de todo o povo: “Isto diz o Senhor: Deste modo quebrarei o jugo de Nabucodonosor, rei da Babilônia, dentro de dois anos, livrando dele o pescoço de todos os povos”. E foi-se pelo seu caminho o profeta Jeremias. 12Depois que o profeta Ananias havia retirado o jugo do pescoço do profeta Jeremias, dirigiu-se novamente a palavra do Senhor a Jeremias:

13“Vai dizer a Ananias: Isto diz o Senhor: Quebraste um jugo de madeira, mas em seu lugar farás um de ferro. 14Isto diz o Senhor dos exércitos, Deus de Israel: Pus um jugo de ferro sobre o pescoço de todas estas nações, para servirem a Nabucodonosor, rei da Babilônia, e lhe serão de fato submissas; além disso, dei-lhe também os animais do campo”. 15Disse ainda o profeta Jeremias ao profeta Ananias: “Ouve, Ananias, não foste enviado pelo Senhor, e contudo fizeste este povo confiar em mentiras. 16Isto diz o Senhor: Eis que te farei partir desta terra; morrerás este ano, pois pregaste a infidelidade contra o Senhor”. 17Naquele ano, no sétimo mês, morreu o profeta Ananias.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 118)

— Ensinai-me a fazer vossa vontade!

— Ensinai-me a fazer vossa vontade!

— Afastai-me do caminho da mentira e dai-me a vossa lei como um presente! Não retireis vossa verdade de meus lábios, pois eu confio em vossos justos julgamentos!

— Que se voltem para mim os que vos temem e conhecem, ó Senhor, vossa Aliança! Meu coração seja perfeito em vossa lei, e não serei, de modo algum, envergonhado!

— Espreitam-me os maus para perder-me, mas continuo sempre atento à vossa lei.

— De vossos julgamentos não me afasto, porque vós mesmo me ensinastes vossas leis.

Evangelho (Mt 14,13-21)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 13quando soube da morte de João Batista, Jesus partiu e foi de barco para um lugar deserto e afastado. Mas quando as multidões souberam disso, saíram das cidades e o seguiram a pé. 14Ao sair da barca, Jesus viu uma grande multidão. Encheu-se de compaixão por eles e curou os que estavam doentes. 15Ao entardecer, os discípulos aproximaram-se de Jesus e disseram: “Este lugar é deserto e a hora já está adiantada. Despede as multidões, para que possam ir aos povoados comprar comida!” 16Jesus porém lhes disse: “Eles não precisam ir embora. Dai-lhes vós mesmos de comer!” 17Os discípulos responderam: “Só temos aqui cinco pães e dois peixes”. 18Jesus disse: “Trazei-os aqui”. 19Jesus mandou que as multidões se sentassem na grama. Então pegou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos para o céu e pronunciou a bênção. Em seguida partiu os pães, e os deu aos discípulos. Os discípulos os distribuíram às multidões. 20Todos comeram e ficaram satisfeitos, e dos pedaços que sobraram, recolheram ainda doze cestos cheios. 21E os que haviam comido eram mais ou menos cinco mil homens, sem contar mulheres e crianças.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

O Senhor tem compaixão de você!

 “Ao sair da barca, Jesus viu uma grande multidão. Encheu-se de compaixão por eles e curou os que estavam doentes. Ao entardecer, os discípulos aproximaram-se de Jesus e disseram: ‘Este lugar é deserto e a hora já está adiantada. Despede as multidões, para que possam ir aos povoados comprar comida!’. Jesus porém lhes disse: ‘Eles não precisam ir embora. Dai-lhes vós mesmos de comer!’” (Mateus 14,14-16).

Meu irmão e minha irmã, iniciamos este mês de agosto, mês vocacional, e aqui nós vemos um dos sinais do Senhor: a Sua compaixão para com o Seu povo. É claro que, depois, Ele realizou a multiplicação dos pães, mas o primeiro sinal de Nosso Senhor é o Seu amor por nós, é a Sua compaixão. O Senhor teve compaixão daquela multidão, por isso, sinta-se também profundamente amado por Nosso Senhor porque Ele tem compaixão de você.

O Senhor se compadeceu daquela multidão porque estava com fome. E o interessante, o bonito, é que eles, primeiro, buscavam o Pão da Palavra, mas eles estavam famintos também na sua necessidade física, biológica; e o Senhor teve compaixão também da necessidade biológica daquele povo. Só que os discípulos queriam dispensar aquele povo, mas Jesus não. “Dai-lhes vós mesmos de comer!”; Jesus sentiu compaixão e ensinou os discípulos que eles também precisariam ter compaixão do povo.

Diante da compaixão que nós recebemos, também nós precisamos oferecer

Meus irmãos, é isto que acontece: o Senhor tem compaixão de você, mas que você também tenha compaixão dos seus irmãos, daqueles que estão à sua volta. Por isso, Jesus provocou, ali, cada discípulo. Ele nos provoca também! Diante do amor que recebemos, também precisamos dar; diante da compaixão que nós recebemos, também nós precisamos oferecer. “Dai-lhes vós mesmos de comer!”. E aqueles discípulos foram provocados a dar, a dar-se, e aí sim o Senhor realizou o milagre ali, diante dos pães que foram apresentados a Ele, Ele multiplicou.

Meu irmão, não podemos deixar de assistir o irmão, deixar de ajudar o irmão, mesmo com o nosso pouco, porque Deus pode fazer daquele pouco o muito. Sim, vamos fazer esse caminho, meus irmãos. Sintamo-nos profundamente amados, sintamo-nos debaixo da compaixão de Deus. Mas uma vez que o Senhor tem compaixão de nós, Ele deseja que nós também nos compadeçamos uns dos outros.

O que você tem? Ofereça-o também a seu irmão, ofereça-0 também a seu próximo! “Mas é tão pouco!”, mas, nas mãos do Senhor, esse pouco vira muito.

Acolha a compaixão e seja também compaixão. Dê do seu pouco, porque, do seu pouco, o Senhor pode fazer muito e pode saciar a fome de muita gente, fome material, mas fome também espiritual. Dê Deus para as pessoas, uma vez que você já recebeu e tem Deus dentro de si.

Abençoe-vos o Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!

Padre Márcio Prado   Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.